Você deveria se dar ao luxo de assistir (mini) séries como Show Me A Hero

David Simon mais uma vez mostra porque é um dos maiores roteiristas da história da TV

Luide
Luide
5 de outubro de 2015
 

David Simon certa vez disse algo interessante em uma entrevista: “as pessoas querem apenas doces, se você deixar, elas só vão comer doces. Então é preciso que alguém as faça comer legumes, mostrar que isso é bom“. Ele falava especificamente do universo das séries de TV. Uma frase certeira que diz muito sobre o que a gente sempre acaba dando preferência.

Nos últimos anos a TV soube equilibrar o doce e o legume com obras inesquecíveis como Breaking Bad e Game Of Thrones, que além de possuir um roteiro inteligente, grande elenco e um nível técnico altíssimo, ainda nos presenteava com momentos épicos como “This is not meth” ou “Dracarys!“. Era o equilíbrio perfeito entre o doce e o legume. Mas para David Simon era muito legume e pouco, quase nada, de doce. Pra isso, basta ver The Wire, extremamente criticada pelo seu ritmo próprio (que muitos chamam de lenta), com um roteiro brilhante e incomparável. Mas que as vezes tinha MOMENTOS ASSIM!

Por isso, muitas vezes, você precisa ouvir o conselho do David Simon. Você precisa consumir uns legumes, sair dessa zona de conforto e explorar outros sabores de séries. E cara, faça um favor a si mesmo, assista a Show Me A Hero.

Com apenas 6 episódios, a mini série da HBO é um caso a parte no que se diz respeito a produções para a televisão nesse ano. Mais uma vez David Simon se mostra um degrau acima de tudo que a gente assiste por aí. É outra visão, é outro tom, é outro nível de se contar histórias. É um periscópio em um mar de dramas, tragédias e vitórias. É a câmera que visita pequenos apartamentos, mas também tribunais. Show Me A Hero é uma obra fantástica.

Protagonizada por Oscar Isaac, Show Me A Hero conta a história real do prefeito Nick Wasicsko de Yonkers, Nova York. O jovem prefeito acabou “caindo de gaiato” em um jogo político que mudaria a vida de muitos. Após uma decisão da corte federal, a cidade foi obrigada a construir moradias para pessoas de baixa renda em bairros de classe média. Explicando em poucas palavras: iriam colocar negros pobres para morar perto dos brancos classe média.

Isso despertou o mais puro ódio daqueles que tinham zilhões de motivos para não quererem os novos vizinhos (nenhum deles era por racismo, imagina). Essa população revoltada influenciou nas eleições e Nick Wasicsko acabou sendo eleito na esperança de vetar a decisão da suprema corte. Mas não estava ao seu alcance.

Mostre-me um herói e eu escreverei uma tragédia

A frase dita pelo romancista norte americano Francis Scott Key Fitzgerald da nome a série e resume um pouco do que será contado. Mesmo inicialmente se valendo da esperança daqueles que eram contra as moradias, Nick Wasicsko foi crucial para que o projeto fosse aprovado e um jogo político menos heroico que House Of Cards.

David Simon então faz aquilo que sabe de melhor: contar várias histórias que se cruzam em apenas uma. Políticos, padres, moradores comuns, o olhar de Simon não exclui ninguém. Todo mundo tem um ponto, todo mundo tem o que dizer. Então, com um elenco maravilhoso, a direção de Paul Haggis e a fotografia mais bela de 2015, Show Me A Hero fala de preconceito, racismo, política e segregação racial e social. Um show. Um drama belíssimo.

Mas ninguém viu Show Me A Hero.
Ninguém vê as séries do David Simon.

Se você, em algum momento, levou em consideração o que o Amigos do Fórum te indica, é hora de levar algo realmente a sério: se permita ver Show Me A Hero. Se permita a ver algo além do que você está acostumado. Se sua mãe dizia que legumes são bons pra saúde, não sou eu quem dirá o contrário.

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 10/06/2019

  • Luide

Beleza Black Mirror, a gente entendeu que tecnologia é uma merda

  • 03/06/2019

  • Luide

Bandidos na TV é o Brasil na Netflix

  • 29/05/2019

  • Luide

Chernobyl é, até o momento, a grande série de 2019