Uma luz de esperança ilumina o final de temporada em The Handmaids Tale

The Word (S02E13) review.

Luide
Luide
13 de julho de 2018

Quando June entrega sua filha aos braços de Emily e com isso toma uma decisão importante para a construção de sua personagem, The Handmaid’s Tale fecha com maestria o principal arco narrativo dessa segunda temporada, completamente focado na maternidade. Se por um lado a série errou a mão em seus primeiros episódios ao deixar o sadismo tomar conta, aqui o roteiro mira e acerta em cheio no lado doce da esperança e daqueles que suportam em seus ombros a dor do mundo em prol de um futuro melhor, mesmo que a curta distância, ele possa parecer improvável.

The Word é um episódio memorável dentro da série pois soube usar com sofisticação o horror sempre presente nesse universo: a cena em que Serena mostra para June o dedo amputado é uma forma inteligente de chocar o espectador, nos lembrar da crueldade que reina naquele ambiente, mas principalmente, sem mostrar como alguma violência explícita. A cena é suficientemente dolorosa e as palavras de Serena destroem qualquer alma: “Eu tentei“.

Serena, aliás, sai dessa segunda temporada com a personagem que mais avançou em questões narrativas. Ela lutou contra não apenas os seus ideias mas de toda Gilead, que como já sabemos desde a temporada passada, teve sua participação. Sempre que contracenava com Elisabeth MossYvonne Strahovski era responsável por elevar o nível da série, levando o espectador em uma crescente tensão, afinal de contas, Serena é de longe a personagem mais enigmática em toda The Handmaid’s Tale. Não me espantaria se ambas as atrizes saíssem vitoriosas do Emmy.

Todo esse segundo ano foi uma construção que chega ao fim quando Serena decide deixar que June salve a filha, ideia reforçada quando June decide ficar para salvar sua outra filha. O tema da maternidade acompanhou os 13 episódios e mesmo que seja um tanto óbvio que o nascimento de uma nova vida seja algo importante dentro do contexto da série, The Handmaid’s Tale soube trabalhar as diversas nuances do que isso significa. Até mesmo seus flashbacks foram certeiros, ao mostrar uma June amedrontada com a ideia de ser mãe e claro, sua relação com a própria mãe.

Com isso, bastava que The Word desse um norte para tudo que foi construído até aqui. E foi exatamente isso que o episódio fez. De Serena convencendo as outras Senhoras de Gilead a pedirem uma nova emenda na constituição que permitisse que seus filhos pudessem ler, a June abrindo mão de sua própria segurança para entrar em uma nova missão, agora de resgatar Hannah. Tudo isso fez com que The Handmaids Tale chegasse ao seu final de temporada de cabeça erguida e renovada para novas histórias, já que agora um clima de mudança realmente paira sobre a obra.

Que venha a terceira temporada.

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 16/09/2019

  • Luide

Years and Years é a série dos derrotados

  • 12/09/2019

  • Luide

A Netflix se apoderou de Breaking Bad. E com razão

  • 04/09/2019

  • Luide

O episódio que mudou tudo