Quer ter sua série salva? Fale com a Netflix

"Deixa comigo, toca po pai".

Luide
Luide
16 de agosto de 2018

Cancelar uma série é uma decisão de mercado. Não importa o quão boa ela seja, se não da audiência a regra é que ela acabe o quanto antes. Claro que existem exceções e emissoras que se importam (ou se importavam) com a qualidade acima de tudo. É o caso de The Wire e a HBO. A série de David Simon até hoje é lembrada como o melhor roteiro da história da TV, virou tema de estudos em universidades, é a série favorita do Barack Obama e eleita por vários críticos como a melhor de todos os tempos, superando inclusive The Sopranos.

The Wire não conversava com o grande público. Na época que foi ao ar a televisão ainda estava se adaptando ao novo padrão de qualidade da HBO (Sopranos era um sucesso), mas aceitava bem obras mais sofisticadas. Mas The Wire estava em outro nível de debate e o entretenimento nunca foi o foco de Simon. Ele é um contador de histórias e quem não tem paciência para a sua forma de contar essas histórias acaba desistindo. “Lenta demais” é o que muitos dizem e claro que isso refletia na audiência, sempre baixa.

Mas a HBO não cancelava The Wire e hoje se orgulha de ter em seu catálogo uma obra prima. Mas até TV que não é TV se cansa e acaba cortando as asas de seus criativos, como foi o caso recente de Allan Ball e Here and Now, série que naufragou em audiência. Ball é autor de sucessos como Six Feet Under e True Blood, ou seja, tem moral na casa. Mas com tanta concorrência e a Netflix bufando no cangote, se dar ao luxo de investir dinheiro em série que não da retorno é uma jogada arriscada.

A própria Netflix já adotou essa lógica mercadológica em suas produções. Se antes era praticamente impossível ler manchetes como “Netflix cancela série x“, hoje já se tornou tão comum quanto “Netflix lança série X“. Em 2017 quando Sense8 foi cancelada o público se assustou, afinal de contas, o serviço de streaming parecia ir contra esse padrão de não sustentar aquilo que seja popular. Erro do assinante. Só que ao mesmo tempo, a Netflix vem se transformando em uma espécie de salvadora de séries moribundas, ouvindo o lamento da galera e trazendo pra si produções prestes a morrer.

Quando Lúcifer foi cancelada pela FOX, os fãs desesperados foram correndo contar pra mamãe Netflix e pedir que ela salvasse a série. Petições, trending topics e bom, isso foi suficiente pra empresa favorita dos millennials e que vive do hype constante agir: negócio fechado, Lúcifer agora imprime o selo “Original Netflix“. E mais uma série encontra a salvação.

Anne With an E acaba de ser renovada para uma terceira temporada após quase ser cancelada pela CBC. Os fãs fizeram campanha para que todo mundo fosse assistir a obra e assim, despertar o interesse da emissora em salvá-la. Também levaram uma hashtag para o topo do twitter e assim conseguiram chamar a atenção da Netflix, que em parceria com a CBC, garantiu mais um tempo de vida para a série canadense.

Agora, além de um depósito de filmes ruins, a Netflix é um depósito de série moribunda. Que época para ser um assinante.

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 06/09/2018

  • Luide

Será que os novos Ursinhos Carinhosos vão estragar sua infância?

  • 06/09/2018

  • Luide

Quer uma série nova pra assistir? Comece pelas velhas

  • 29/08/2018

  • Luide

É com melancolia que me despeço de Mr. Robot