Quando nem o protagonista suporta a própria série é porque passou da hora de parar

The Walking Dead se definha diante do público.

Luide
Luide
30 de maio de 2018

Uma das mais conhecidas e aclamadas séries em todos os tempos, Breaking Bad viveu seus primeiros quatro anos no ar de forma quase invisível. A explosão veio após suas quatro primeiras temporadas serem adicionadas no catálogo da Netflix, com a obra vivendo seu auge a partir da quinta. A AMC poderia ter aproveitado o hype e convencido Vince Gilligan a esticar a série o máximo possível, mas o que se viu foi um final digno, fechado e que honrou o legado.

Saber a hora de parar deveria ser uma qualidade em todos os canais e serviços de streaming. O desgaste que algumas séries sofrem ao longo dos anos não é mais compensado nem mesmo com audiência. Muitos abandonam o barco dada a grande oferta de produções, que por outro lado, também contribui para o surgimento de “séries pegadinhas” onde o dedo do autor é quase inexistente. Com séries cada vez menos preocupadas com histórias, mas com fãs fazendo thread no twitter “desvendando os mistérios”, bons exemplos como o de Breaking Bad estão prestes a sumir.

É claro que sempre existem boas exceções. Pegue os exemplos de Master Of None e Atlanta, que além do hype também levaram diversos prêmios nos últimos anos. Mesmo assim tanto Aziz Ansari quando Donald Glover não se mostram preocupados em produzir novos episódios só para surfar nessa onda. De uma temporada pra outra a espera quase chegou a dois anos, ou seja, temos aqui artistas preocupados com sua arte.

Então chegamos a The Walking Dead, que um dia foi uma das maiores sensações da cultura pop. “Um dia” porque sua audiência despenca ano após ano, com sua oitava temporada marcando o menor número de espectadores desde 2010. São oito anos no ar e cada vez mais desistentes, já que pra cada bom episódios existem outros dez onde nada acontece. Enquanto a crítica apontava os erros tudo ia bem, já que no fundo a AMC não queria perder seu grande blockbuster, mas agora começam a surgir problemas reais além da baixa audiência.

Lauren Cohan, a Maggie, pulou fora desse barco. A atriz não renovou seu contrato e participará apenas de 6 capítulos da nona temporada. Depois disso é vida que segue. Mas a grande baixa vem de Andrew Lincoln, o Rick, que ao longo desses anos foi uma das poucas coisas boas em toda a história. O ator manifestou desejo de deixar a série e como mostra o Deadline, isso deve acontecer já na próxima temporada. Como se tudo isso não bastasse, The Walking Dead terá um novo showrunner, a segunda troca. Sai Scott Gimple e entra Angela Kang, que também irá comandar o spin-off Fear The Walking Dead.

Aquela produção promissora em sua primeira temporada, que misturava boa dose de drama e terror e tinha como chefe ninguém menos que Frank Darabont, agora se definha pouco a pouco diante do espectador. É uma morte lenta e dolorosa, tal qual um zumbi.

Que ironia.

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 30/07/2018

  • Luide

“Do criador de Mad Men”: quando uma frase basta para você prestar atenção em uma série

  • 25/07/2018

  • Luide

Lutar pelo cancelamento de uma série antes mesmo de sua estréia é um caminho perigoso

  • 24/07/2018

  • Luide

Turismo Macabro na Netflix é a série perfeita pra quem não quer largar tudo e viajar o mundo