O poder de Making a Murderer

Luide
Luide
15 de agosto de 2016

A cultura pop carrega um peso extra nas costas: o poder de mudar. Hoje em dia muito se cobra de canais de tv, empresas e da publicidade que tenham consciência de suas responsabilidades para com a sociedade, mas como nós sabemos, ao menos que isso gere audiência ou dinheiro, nada de verdade será feito. Já o mesmo não se pode dizer da arte, que apesar de finalidades parecidas (dinheiro ou audiência), não deixa de cumprir seu papel em mudar e influenciar pessoas.

O cinema, as séries, os quadrinhos, a música e todo tipo de arte precisa estar a frente de seu tempo, colocando em pauta assuntos que ainda são espinhosos para muitos. Mostrar a diversidade, a igualdade e o respeito. A cultura pop precisa e deve ser mais do que puro entretenimento. E mesmo séries como Stranger Things que parecem ser superficiais e “bobinhas”, carregam consigo uma dose alta de amizade e amor fraternal.

Mas no sentido de impactar a sociedade nada nos últimos anos fez mais barulho que Making a Murdurer, um fenômeno do Netflix que até agora resulta em ações diretas aqui, em nossa chamada “realidade”. A série documental expôs ao mundo o caso de Steven Avery, que após ter passado 18 anos preso por um crime que não cometeu, conseguiu a liberdade devido a um exame de DNA que provou sua inocência. Porém, em circunstâncias tão estranhas quanto a primeira, Steven voltou a ser preso, e dessa vez seu sobrinho Brendan Dassey, na época com 16 anos, também teve o mesmo destino que o tio, acusado de ser cúmplice de um assassinato.

Making a Murderer poderia ser apenas um show, uma série onde iríamos assistir a dor e sofrimento de Steven e sua família, sentir nojo da justiça, desligar a tv e ir pra cama. Assim, ao acordarmos no outro dia, daríamos nossa nota e fim de papo, estaríamos prontos para mais um lançamento original Netflix, uhull! Mas não foi bem assim.

A série causou uma comoção inacreditável, e além de se tornar uma das mais vistas do serviço de streaming, ganhou páginas de jornais, portais e programas de televisão. Todos queriam saber mais sobre o caso de Steven Avery, que seguia preso pelo suposto assassinato. A indignação não foi apenas de momento, e gerou uma petição com mais de 130 mil assinaturas, o que forçou a Casa Branca se pronunciar a respeito.

Com a pressão popular e principalmente os olhos da mídia voltados ao caso de Steven Avery, uma luz no fim do túnel começou a surgir. Na última sexta feira dia 12 de agosto, a Justiça do estado Wisconsin anulou a condenação de Brendan Dassey, hoje com 26 anos. Caso os promotores não recorram, Brendan poderá sair da prisão dentro dos próximos 90 dias.

Agora pode ser a vez do próprio Steven ganhar liberdade. Segundo sua advogada Kathleen Zellner as chances da sentença de Steven ser revogada são altas, quase uma certeza segundo ela:

Essa decisão era esperada por nós vindo de uma corte imparcial que examinou sua confissão cuidadosamente. Eu estava visitando Steven Avery e ele está muito feliz por Brendan. Com uma revisão imparcial de todas as evidências que temos, sabemos que a acusação de Steven também será revogada

Nada disso estaria acontecendo se a cultura pop fosse puramente industrial.
Ainda é possível sentir o poder da mudança.

Por mais obras assim.

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 29/11/2018

  • Luide

Além de latino você é imbecíl? Então assista isso aqui

  • 26/10/2018

  • Luide

HBO Go no Brasil censura episódio de John Oliver sobre Jair Bolsonaro

  • 01/10/2018

  • Luide

Achou que não existiam motivos para ficar acordado após o almoço de domingo?