Pare de achar que você sabe mais que o Martin Scorsese

Senta e ouve o que esse cara tem pra falar.

Luide
Luide
21 de outubro de 2019

A primeira coisa que fazemos quando alguém critica algo que adoramos é ofender o autor da crítica. Mas e quando a pessoa que critica é ninguém menos que Martin Scorsese? Senta e ouve o que ele tem a dizer.

É notável o que a Marvel fez sob o comando de Kevin Feige. Ela pegou o conceito de blockbuster e elevou a um nível nunca antes visto. Não é exagero dizer que ela mudou a indústria como conhecemos, de uma forma que colocou todos os grandes estúdios tentando emplacar seu próprio universo compartilhado. Não funciona e não vai funcionar, pois requer tempo: demorou para o primeiro filme com bilhão chegar, e hoje todo mundo já quer isso logo de cara.

Então temos Martin Scorsese. Se eu tiver que gastar uma linha pra explicar quem é esse cara, é porque tá tudo perdido. Então foquemos nas suas palavras: ““não são cinema, e sim parques de diversões”. Foi assim que ele descreveu os filmes da Marvel. A reação inicial do fã, nesse que se sente obrigado a defender aquilo que gosta, é dizer que Scorsese está maluco, “quem é ele pra dizer o que é ou não cinema” e que os filmes da Marvel são sim obras de arte.

Se você foca em defender os filmes já começou errando. É claro que é cinema, é claro que dezenas de artistas estão envolvidos na produção desses filmes e eles não são menores que um Taxi Driver, por exemplo. Mas quando alguém como Martin Scorsese vem a público criticar a Marvel, é um tanto óbvio que essas críticas são direcionadas ao mercado, a indústria. Ai não tem como discordar: virou parque de diversões.

Não, não tem problema você ir pro cinema se divertir. Mas a partir do momento que uma espécie de monopólio de ideias e execuções começam a tomar conta do mercado, é impossível que cineastas como Scorsese não se manifestem. A Marvel criou um novo padrão que é inalcançável, mas todo mundo almeja. Pouco a pouco a diversidade de ideias vai morrendo em prol de uma nova franquia bilionária. Mais e mais diretores estão sendo contratados por uma demanda específica. No fim do dia, isso influencia sim na profissão de um cara como Scorsese e Coppola.

Se eles ficam em silêncio, de repente, você vai ter que se contentar apenas o mesmo tipo de filme sendo feito e refeito para o grande público. Mas obviamente, você que é bem mais esperto que Martin Scorsese, vai dizer que as pessoas vão assistir a esses filme por puro amor a Marvel. É uma preferência orgânica.

Mas não, não é. Quando um filme como Vingadores: Ultimato praticamente domina todas as salas de cinema do Brasil é porque existe algo perigoso acontecendo. Não é simplesmente “o público prefere super herói”. Não prefere. Não é tão simples. Esses caras estão na indústria há muito tempo. Sabem muito bem dos bastidores e também conhecem o tal “público”.

Entre ouvir o que o Martin Scorsese tem a dizer e o Nerd Nerd do canal Nerd Nerd, prefiro ficar com o primeiro.

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 09/01/2019

  • Luide

Jason Momoa conheceu o pior tipo de “lacrador” de internet

  • 07/01/2019

  • Luide

Não se esqueça: existe um lado bom na internet

  • 11/12/2018

  • Luide

Quando o “mimimi” não é bem um “mimimi”