O jeito certo de se contar uma história

Ou no mínimo o melhor jeito.

Luide
Luide
15 de outubro de 2018

Assim que o primeiro episódio de The Wire terminou senti que estava diante de um jeito muito particular do autor em contar uma história. Subiam os créditos e a sensação de fluidez, nada forçado ou fora do ritmo, tomou conta de mim. Uma série que soube explorar o tempo e colocava um espectador no papel de um simples observador. Nos restava acompanhar o desenrolar daquela trama onde sua torcida ou comoção pelos fatos pouco importam para o andamento das coisas. Assim como na vida real.

É o poder de David Simon, um autor incomparável quando se trata de séries. Assim como Vince Gilligan e suas viradas explosivas ou Matthew Weiner com sua elegância, Simon tem um estilo muito próprio que fica marcado em cada personagem, cada diálogo, cada episódio. As obras mudam, mas o temática permanece a mesma: o ser humano e sua relação com o tempo e espaço. Se Baltimore era o coração de The Wire, as ruas de uma Nova York suja e abandonada embalam os episódios de The Deuce.

Séries (boas) costumam ter um formato simples. Cada episódio é parte de uma história que se completa na temporada, e cada temporada tem uma história que se completa na série. Parece óbvio, mas nem todos levam isso a risca. Na era da alta oferta em serviços de streaming, é comum que metade dos episódios sejam descartáveis, criados apenas para preencher a cota dos 10 ou 13 episódios de uma típica temporada.

Já com David Simon cada episódio é um convite a contemplação de seus personagens. Em The Deuce fica claro que estamos diante de uma história tão ampla que fica difícil definir qual é o seu ponto central, mas no fim isso não importa tanto assim, já que cada uma daquelas pessoas tem algo pra contar. O protagonista é sempre a cidade, as ruas, o interior dos bares ou dentro de um carro. São os ambientes, é ali que você precisa prestar atenção.

Com isso cada episódio se torna um evento mágico onde sua atenção é mais do que necessária. Você não se prende por mistérios ou plot twists. David Simon não precisa te segurar na mão e dizer “presta atenção nisso aqui”, a fluidez na trama é tamanha que você se torna obcecado por aquelas histórias. Do cafetão canalha ao novo balconista da lanchonete. O que eles tem pra me contar? O que eles fazem quando não estão em cena?

David Simon sempre fez questão de mostrar que o homem é um fruto de sua época, mesmo que seus erros permaneçam. Então The Deuce é uma espécie de documento daqueles anos e ao mesmo tempo um relato dos dias atuais.

É o tipo de série que você está cada vez vendo menos.

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 08/10/2018

  • Luide

House Of Cards e sua desnecessária última temporada

  • 05/10/2018

  • Luide

4ª temporada de Better Call Saul encontrou 1ª temporada de Breaking Bad?

  • 04/10/2018

  • Luide

Acaba logo, Better Call Saul