Netflix deixa de lado grandes sucessos para investir em conteúdo original

É o serviço de streaming repetindo a fórmula que consagrou as redes de TV a cabo

Luide
Luide
31 de agosto de 2015

Beasts of No Nation marca a estréia de filmes originais

Muito antes de ser conhecida como a emissora que deu vida a séries originais como Game Of Thrones, The SopranosBand Of Brothers (citando apenas esses três você entende o nível da coisa), a HBO foi uma emissora praticamente “refém” de conteúdo de terceiros, chegando até ser piada na década de 80 por exibir a exaustão os filmes de seu catálogo. Cansada da pressão dos estúdios a emissora resolveu partir para uma revolução que mudaria pra sempre a história da tv.

Essa decisão foi certeira para que um dia David Chase criasse The Sopranos e em pouco tempo, séries como Six Feet Under, The Wire, Deadwood passassem a ser a grande atração do canal que criou o bordão “Não é TV!“. Investir em produções originais também foi o que impulsionou outros canais como a FX (The Shield) e AMC (Mad Men). Mesmo não deixando de exibir grandes filmes, o sucesso e o reconhecimento vieram através de produções originais, seja ela séries, mini séries ou documentários.

E quem parece estar cada vez mais entendendo isso é o Netflix, que pra mim, é tão importante para a revolução do conteúdo na TV como a HBO foi um dia.

Em 2012 entrou para o catálogo do Neflix uma série norueguesa estrelada por Steven Van Zandt (nosso eterno Silvio Dante de Sopranos) chamada Lilyhammer. Essa estréia marcaria uma das maneiras do Netflix “fazer” conteúdo original: o serviço na verdade compraria os direitos de distribuição de outros estúdios, produtoras ou até canais de tv, assim como fez recentemente com Better Call Saul (que é produção da AMC).

Pouco tempo depois finalmente chegaria a série divisora de águas que colocaria o Netflix no mesmo nível de canais a cabo de prestígio, no que diz respeito a conteúdo original, e entrando pra história da TV. Afinal, como um serviço online conseguiu dar vida a algo do patamar de House Of Cards?

House Of Cards seguiu o mesmo caminho que várias séries consagradas e antes de Frank Underwood quebrar a quarta parede através de um streaming, ele foi rejeitado por vários canais. O Netflix entendeu que poderia ser uma excelente escolha trazer a série pro seu catálogo e encomendou de cara duas temporadas. Aí coube a David Fincher, com dinheiro em mãos, fazer todo o resto. House Of Cards sozinho colocou o Netflix nos holofotes de conteúdo original e de lá pra cá só veio coisa boa: Orange Is The New Black, Demolidor e mais recentemente, a excelente Narcos.

Hoje em dia uma série original do Netflix já é tão esperada quanto de qualquer canal a cabo, e volta e meia você se depara com alguma coisa nova ao logar em sua conta. E o mesmo já começa a acontecer com documentários e filmes. Em breve teremos uma enxurrada de Adam SandlerBrad Pitt vai estrelar um longa metragem de 60 milhões de dólares, O Tigre e o Dragão vai ganhar uma continuação e Cary Fukunaga (True Detective) vai dirigir Idris Elba em Beasts of No Nation.

O Netflix não quer depender de ninguém

A mensagem é clara: o Netflix não quer depender de ninguém para atrair novos assinantes e manter os atuais. Ela quer ser conhecida pelo seu catálogo original primeiramente. E uma prova desse processo é uma postagem recente no seu blog oficial, onde Ted Sarandos (diretor de conteúdo) confirma o fim de contrato com a Epix, canal de tv que detém os direitos da MGMLionsGate. Com isso diversos blockbusters sairão do catálogo, como Jogos Vorazes e Transformers.

O motivo? Um só: investir mais dinheiro em produções originais. Ted diz que entende que os assinantes gostariam de filmes mais recentes no catálogo, mas como o próprio diz “o Netflix também“. Não é fácil conseguir filmes recém lançados e a concorrência também é um impedimento. Ted diz que os mesmos filmes estão disponíveis em outros canais o que acaba se tornando pouco interessante.

O Netflix está cada vez mais percebendo com o jogo funciona e a maneira de distribuir e consumir conteúdo também. Essa revoluções são importantes e apenas uma pessoa sai vencedora: você. Basta lembrar que apenas com a Marvel, o Netflix vai produzir uma série original a cada 6 meses.

 

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 01/08/2018

  • Luide

Oficialmente a Netflix tem uma concorrente de peso no Brasil: Globo

  • 11/07/2018

  • Luide

Prepare-se para cair na armadilha de Hannah Gadsby em seu stand-up imperdível na Netflix

  • 05/07/2018

  • Luide

É questão de tempo até sua mãe trocar a novela por La Casa de Papel