Game Of Thrones retorna para fazer o que nenhuma outra série conseguiu

O poder da televisão na “Era do Streaming”.

Luide
Luide
15 de abril de 2019

Assim que a oitava temporada de Game Of Thrones acabar, existirá uma televisão que será dividida entre antes e depois da adaptação da obra de George R.R. Martin. O que nós conhecemos como segunda tela, meios de consumo, spoilers e até mesmo “hype” será remodelado. GoT obliterou os alicerces da TV e fez o que nenhuma outra série fez. É não somente o fim de uma história, mas o começo de uma nova meta a ser batida: quem será a “nova Game Of Thrones“? É possível pra alguma outra série atingir os números dessa saga?

Obviamente não poderia existir lugar melhor para isso acontecer do que na própria HBO, responsável por criar a chamada “Era de Ouro” com Sopranos, The Wire, Six Feet Under e outras. Foi graça a ela que os holofotes se voltaram para as séries e o que antes era visto como “prima pobre do cinema”, hoje é um celeiro de criativos, atores, roteiristas, diretores e por aí vai. Todo mundo quer fazer TV. Todo mundo quer estrelar o próximo vencedor do Emmy Awards. Mas com Game Of Thrones a HBO quebra mais uma barreira, muda novamente o que nós conhecemos com séries: um fenômeno nunca antes visto e incomparável.

De Twin Peaks a LOST, acompanhar uma série além dos créditos não é novidade. Mas nada se compara com o que Game Of Thrones é capaz de fazer. Na era do streaming e com todo mundo correndo atrás da Netflix, a HBO força sua audiência sentar a bunda no sofá em dia e hora marcada. “Ver onde quiser e quando quiser“? Desculpa, não em Westeros.

Game Of Thrones é a maior de todas por ainda preservar um tipo de consumo que tende a morrer, mas que ainda bem, viveu o seu auge pouco antes da morte. Nada pode ser mais “cultura pop” que se reunir com amigos ou comentar uma série em rede social enquanto ela acontece. É esse êxtase do evento ao vivo, essa reação imediata e ritmada com o mundo todo, que engrandece ainda mais uma obra que já nasceu grande.

É tudo o que a Netflix, Amazon Prime, Disney + e qualquer outro serviço de streaming jamais será capaz de produzir.

Nesse retorno de oitava temporada é até difícil querer que isso ou aquilo aconteça. O final pouco importa. Game Of Thrones já mudou o entretenimento e disso ninguém mais duvida. A partir de agora cabe a TV lidar com esse novo ponto a ser atingido e também a falta de algo que a coloque no mesmo patamar dos grandes blockbusters americanos. Enquanto os serviços de streaming insistem na produção em massa de séries meia boca, feitas para inflar catálogo, a HBO aposta em algo que já caiu de moda. E acerta. É a TV na sua forma mais pura chegando onde nenhuma outra produção jamais esteve.

Tony Soprano ficaria orgulho em saber que seu legado se transformou: ninguém mais quer “homens difíceis” protagonizando histórias. Nós queremos dragões rasgando os céus. Porque graças a Game Of Thrones, não existem mais limites.

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 21/02/2019

  • Luide

A sombra da sua própria obsessão

  • 06/02/2019

  • Luide

Um problema para Trotsky lidar

  • 29/01/2019

  • Luide

True Detective entendeu do que a internet gosta