Fisioterapia e condicionamento físico se transformam em preocupação para os jogadores de eSports

Luide
Luide
26 de outubro de 2021

Fonte: Unsplash

As competições de eSports estão ganhando a atenção da internet, seja com a cobertura dos portais de notícias ou então com a transmissão de algumas plataformas de streaming. Entretanto, o que as pessoas ainda não conhecem são os bastidores desses torneios. O intenso treinamento dos jogadores profissionais, por exemplo, não é focado apenas nas habilidades no jogo, mas também no condicionamento físico. Uma boa parte das equipes profissionais usam a fisioterapia para evitar lesões e problemas de saúde desses atletas do mundo digital.

Uma ideia que sempre existiu é que os fãs de games passam o dia inteiro sentados na frente do computador ou dos consoles. Apesar disso fazer um certo sentido, principalmente no passado, esse entretenimento se transformou nos últimos anos. No ambiente profissional de eSports, os atletas começaram a dar mais atenção para a saúde física, e deixaram de lado aquele clichê do jogador de videogame.

Em uma entrevista à Betway, site de apostas LoL, o fisioterapeuta Régis de Lima Neves comentou sobre o uso da fisioterapia por algumas equipes profissionais do universo gamer. Ele explicou que a ideia é prevenir lesões futuras pelo mal uso muscular nas atividades, além de limitar danos articulares. Afinal, durante as partidas e os treinamentos, é normal que o jogador fique muito tempo na cadeira mexendo apenas com as mãos. A fisioterapia atua para prevenir que isso cause problemas no longo prazo.

Além disso, o tratamento fisioterapêutico também atua para que o desempenho durante os jogos seja mais eficiente. Na conversa com o blog da Betway, Régis explica que alguns exercícios aplicados aos atletas permitem ensinar ao corpo quais são os movimentos mais praticados durante o dia, e isso se traduz em uma melhor resposta do organismo. Ou seja, o jogador acaba por se preparar para as horas de jogos, com os músculos treinados para os movimentos repetitivos.

Mudanças nos games

Esse maior cuidado com a parte física no mundo dos games não acontece apenas pelo lado profissional. Os próprios videogames ficaram mais dinâmicos, principalmente com algumas iniciativas pensadas em tirar as pessoas do sofá. Em 2006, por exemplo, o lançamento do Nintendo Wii fez com que os controles com sensor de movimento ganhassem espaço no mercado. Com mais de 100 milhões de unidades vendidas em todo o mundo, o console mostrou que o entretenimento digital combina com atividade física.

Outras empresas, como a Sony e a Microsoft, também investiram nesta mesma ideia e os games começaram a ficar mais ativos para as pessoas. Segundo reportagem do portal TechTudo, alguns títulos começaram a ser usados como tratamento em clínicas de recuperação, principalmente em pessoas idosas. A facilidade, a diversão e os benefícios compensam bastante o uso dos games neste sentido.

Com um mercado que fatura mais de US$ 2 bilhões por ano, apenas no Brasil, e teve um crescimento recente acima dos 50% em todo o mercado mundial, é positivo ver os games focando também na saúde. A própria Nintendo continua seguindo esse caminho, pois o Switch é outro console que também é compatível com jogos mais dinâmicos e podem ser usados para fazer as pessoas se movimentarem. Até o início de outubro, o console tinha mais de 90 milhões de unidades vendidas globalmente.

Equipes e jogadores investindo em saúde

Todas essas atitudes fazem do mercado dos games algo mais saudável, afinal muitos jogadores e equipes acabam se transformando em referência para as pessoas na internet. É o caso, por exemplo, do jogador Marcelo “coldzera” David, que nos últimos anos se destacou por cuidar do aspecto físico frequentando a academia regularmente. O antigo jogador da equipe brasileira MIBR acredita que isso pode passar um exemplo positivo aos fãs.

As equipes seguem a mesma tendência e, como falamos anteriormente, focam na saúde dos atletas. Segundo reportagem da ESPN Brasil, times como a LOUD, a Prodigy, a Team Liquid e a W7M Gaming se destacam pela presença de um fisioterapeuta durante os treinamentos e competições. Essas atitudes são essenciais para manter a saúde dos atletas e também passar uma mensagem importante aos torcedores.

Os videogames foram tratados por muito tempo como uma diversão simples, mas isso mudou drasticamente nos últimos anos. Esse setor bilionário agita o mercado financeiro e também a vida das pessoas. O foco na saúde mostra que os games também podem trazer benefícios na parte física, e faz com que os jogadores sejam cada vez mais saudáveis durante as competições de eSports.