Acabou, mas ninguém ficou sabendo

A melancólica despedida da parceira Marvel/Netflix.

Luide
Luide
18 de junho de 2019

2013 foi um ano inesquecível na curta história da Netflix. House Of Cards e Orange Is The New Black faziam suas estreias como as primeiras produções originais a ganhar o mainstream. Muita gente de boca aberta com a história de Frank Underwood, muita gente apaixonada com as histórias das prisioneiras de Litchfield. Além de chamar atenção do grande público, ambas as ganharam suas indicações ao Emmy Awards, vencendo em algumas categorias e fazendo história na premiação.

Percebendo o potencial que tinha em mãos, o serviço de streaming não demorou para começar a anunciar novas produções e parcerias para conteúdo original, já que a aceitação foi imensa: agora a Netflix não dependia 100% de filmes e séries de terceiros. E para fechar aquele ano veio um anúncio que fez um monte de nerd/geek/fã de gibi vibrar: Marvel e Netflix juntas com cinco séries previstas para estrear ao longo dos próximos anos. Quem diria, hein? Uma expansão do universo dos cinemas chegando até a televisão.

Mas a empolgação logo daria lugar a frustração e estreia após estreia, temporada após temporada, com a qualidade caindo vertiginosamente, as séries Marvel e Netflix foram caindo em um limbo de esquecimento, preservando uma base de fãs mais apaixonados que se recusam a largar o osso. Afinal de contas, abandonar uma série é algo que só vem com a maturidade, demora um certo tempo pra você perceber que não tem assim tanto tempo.

O último ato dessa parceria que não contava com a Disney criando seu próprio serviço de streaming estreou na última sexta (14/06): Jéssica Jones e sua terceira temporada chegou e ninguém assistiu. A heroína que em sua estreia chamou a atenção pela abordagem corajosa de alguns temas como relacionamentos abusivos, fez sua despedida da forma mais melancólica possível, marcando uma parceira que tinha tudo pra dar certo, até a Disney entender que a Netflix é uma pedra no meio do seu caminho de dominação mundial do entretenimento.

E mesmo que hoje pouca gente se importe se teremos ou não uma próxima temporada de Punho de Ferro, o certo é que essa parceira entre as duas gigantes passou por diversos tropeços ao longo dos anos. Punho de Ferro, Demolidor e por último Jessica Jones, sofreram com divergências criativas, sendo que as duas primeiras tiveram seus showrunners trocados entre uma temporada e outra. Nada que salvasse do destino inevitável. Por esse lado, é até bom que ninguém em pleno 2019 espere alguma coisa boa saindo desse núcleo de super heróis, assim o clima de luto não toma conta do ambiente.

Demolidor, Punho de Ferro, Luke Cage Jessica Jones se foram. Ainda bem. A Netflix pode começar agora a quem sabe, talvez, investir esse dinheiro todo em alguma coisa decente. Sugiro mais séries documentais brasileiras. Você trocaria todas as séries Marvel/Netflix por uma adaptação do podcast Projeto Humanos: O Caso Evandro?

Eu sim.

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 27/02/2019

  • Luide

Tudo bem que você não gosta do carnaval

  • 21/02/2019

  • Luide

A sombra da sua própria obsessão

  • 06/02/2019

  • Luide

Um problema para Trotsky lidar