Easy da Netflix aborda os mais variados tipos e níveis de relacionamento

Oito histórias diferentes sobre oito relacionamentos diferentes

Luide
Luide
10 de outubro de 2016

O amor é sem dúvidas o tema mais abordado nas artes. Ironicamente, quase nunca de uma maneira sóbria, sem romantismos ou inclinações fantasiosas. Dificilmente alguém está disposto a falar de maneira séria sobre o maior de todos os sentimentos humanos. E claro, por tabela, falar sobre relações e relacionamentos. Por que algo tão comum, que acontece em algum momento na vida de quase todo ser humano, é tão difícil de ser retratado?

Talvez porque o amor não é um programa de computador que depois de executado funciona igualmente em diferentes pessoas. Ou porque simplesmente preferimos nos anestesiar com a ideia do príncipe e da princesa. O homem viril que abandona seus vícios para ficar com a mulher perfeita, inteligente, linda e que adora suas bizarrices. Algo que (500) Dias Com Ela discute.

Easy da Netflix passou meio batida. Estreou no mês dos blockbusters Narcos e Luke Cage e acabou se perdendo no meio de tantas novidades. Porém agora que o hype do Pablo Escobar e dos heróis Marvel baixou, você pode dedicar um pouco do seu tempo a Easy. E é pouco mesmo: a série é uma antologia de oito episódios, cada um com cerca de 30 minutos de duração, em uma mistura de drama e comédia bastante equilibrada e leve.

Em cada uma de suas histórias, Easy nos fala um pouco sobre os relacionamentos modernos. De um jovem casal de lésbicas a um típico relacionamento de adultos na casa dos 40. A empolgação do início versus o tédio da vida de casados. Existe algo que transforma Easy em um retrato de sua época, onde a mistura de informações, aparatos digitais e a cada vez mais comum falta de diálogo e tempo, foram deixando as relações humanas cada vez mais mecânicas.

E por abrir seu leque de possibilidades de relacionamentos, Easy pode mexer com diferentes pessoas em diferentes momentos. Por exemplo, em seu primeiro episódio a série mostra a vida de um casal adulto com dois filhos, casa e vida profissional já decidida. Durante uma festa, o casal ouve uma história sobre mulheres que ganham mais que o marido, costumam a sentir menos atração por ele. O casal então decide esquentar a relação, e de uma maneira bastante bem humorada, Easy mostra como o sexo deixa de ser prioridade na vida das pessoas.

 Easy (2016)

Já em Brewery Brothers, o terceiro episódio, vemos o início dessa mudança de mentalidade. Um jovem casal, prestes a ter filhos, voltam a se redescobrir como seres individuais, que além de pais, são pessoas com desejos e vontades. Em Vegan Cinderella temos a história de uma jovem disposta a mudar drasticamente sua vida para agradar sua nova namorada.

Easy discute relacionamentos, expõe suas mais diferentes formas e exata o amor, mas longe de uma visão romântica ou simplista. O amor acontece em diferentes versões, começa em diferentes intensidades.

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 29/05/2019

  • Luide

Chernobyl é, até o momento, a grande série de 2019

  • 20/05/2019

  • Luide

O velório da televisão

  • 15/05/2019

  • Luide

Terror em Chernobyl