É preciso entender quem não está gostando de “Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro”

"Caos! Armadura Divina Contra Armadura Divina" acelera a trama, mas expõe os problemas da série

Luide
Luide
6 de julho de 2015
 

Certas obras possuem um peso emocional grande demais para nos fazer ter qualquer senso crítico. Volta e meia quando revemos um filme, série, anime etc que marcou nossa infância/adolescência, deixamos de lado qualquer ponto negativo da obra, afinal, a avalanche de sentimentos que eles carregam é boa demais pra gente ficar encontrando defeito.

Qualquer um aqui deve ter no coração alguma coisa que está imune a críticas. Imagina alguém criticando Star Wars? De Volta Para o Futuro? Caverna do Dragão? Pois é, sou assim com Cavaleiros do Zodíaco. E acho que esse sentimento nostálgico é justamente o que está me fazendo gostar tanto de “Alma de Ouro“.

Já explanei em vídeo o quanto estou me divertindo com o anime. Sei lá, talvez rever os Cavaleiros de Ouro por por cerca de 20 minutos me transporta novamente para o velho sofá da minha casa lá em 1994 às 17:30hrs da tarde. É como se eu voltasse a ter 7 anos de idade e conseguisse ouvir meu pai enchendo o saco falando do Seiya: “nossa, esse cara apanha apanha e no final derrota o inimigo?“. É como se a qualquer momento o comercial do Sonic 2000 ou das Facas Ginsu fossem aparecer.

Então sim, eu sei que “Alma de Ouro” tem vários defeitos. Mas não, não quero me apegar a eles.

Acontece que nem todo mundo tem esse sentimentalismo de marmanjo chorão como eu. Muita gente é apegada demais ao cânone original e não gosta desses spin-offs. As críticas são mais do que justas: os traços às vezes parecem feitos pelo pessoal do Jardim Secreto, a história é meio bagunçada e a personalidade dos Cavaleiros de Ouro sofreram algumas alterações.

De fato, em alguns momentos os traços deixam a desejar

É difícil após a excelente Saga de Hades aceitar tamanhas mudanças, afinal, Cavaleiros do Zodíaco é algo que merece a mais valiosa atenção. Então quando Camus de Aquário cai em lágrimas após ver dois de seus amigos mortos, é compreensível que alguns torçam o bico. Muitos podem argumentar que ele jamais choraria ou trairia alguém, mas enfim, é preciso entender quem não aceita.

Alma de Ouro” acelerou a história nesse sétimo episódio com duas batalhas acontecendo simultaneamente. Batalhas que querendo ou não, lembram muito de tudo aquilo que víamos na série clássica, cheia de diálogos expositivos e poucos golpes. Um pouco de flashback para lembrar que CamusSurtr tiveram uma amizade que muito lembra a de HyogaIsaac, onde uma tragédia separa os amigos que juntos treinavam por uma armadura. Então essa falta de originalidade também pode trazer críticas negativas…

Já as aparições das Armaduras Divinas são um belo exemplo do que a Toei Animation quer para esse seriado: nos convencer a comprar mais bonecos. Ok, é legal ter vários bonecos, mas convenhamos que o design de algumas parece obra do Michael Bay e seus Transformers. De qualquer forma, mesmo você gostando ou não do que está vendo, duvido que não esteja curioso para ver o Shaka em ação no próximo episódio.

Mesmo com defeitos ou qualidades, é divertido DEMAIS debater Cavaleiros do Zodíaco em pleno 2015. Por mim, que venham mais episódios. Mas se você não gostar, relaxa, a gente te entende.

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 19/04/2018

  • Luide

Um vídeo feito com drone que mais parece abertura de anime

  • 28/03/2018

  • Luide

Assisti apenas ao último episódio de Dragon Ball Super. E mesmo assim me emocionei

  • 20/03/2018

  • Luide

Duas imagens que explicam a importância de Dragon Ball