A dublagem cheia de gracinhas e memes de (Des)Encanto

"Machistas não passarão".

Luide
Luide
27 de agosto de 2018

A dublagem precisa ser mais do que simplesmente uma tradução literal para a língua local. É preciso contextualizar ou muitas vezes regionalizar algumas frases ou expressões. No humor isso se faz ainda mais necessário, já que muitas piadas só tem sentido no áudio original. É por essas e outras que o Brasil é conhecido mundialmente pelo nível de sua dublagem, ao ponto dos dubladores também serem estrelas, já que suas vozes se tornaram parte da nossa infância assim como certos personagens.

Entre tantos bons exemplos, nenhum supera Yu Yu Hakusho. O anime estreou na TV Manchete em meados dos anos 90 e logo chamou a atenção pela liberdade de seus dubladores. Repleto de gírias e expressões usadas na época, Yu Yu Hakusho era um paraíso da adaptação, o que gerou momentos inesquecíveis como esses do vídeo abaixo:

São expressões 100% brasileiras e fez com que o espectador se sentisse ainda mais próximo do desenho. Não é a toa que foi um sucesso. Bom, isso não é tão incomum assim, diversos estúdios de dublagem tem essa liberdade de incluir gírias do momento e até mesmo filmes da Marvel tem o Homem de Ferro mandando um “Tá tranquilo, tá favorável” em Guerra Civil. Nesse caso o problema é que hoje ninguém mais se lembra dessa frase do MC Bin Laden, pessoal se empolga na gracinha e comete alguns deslizes.

(Des)Encanto, a nova série da Netflix, pode ser no futuro um bom ou mau exemplo desse estilo livre de dublagem. Se por um lado ela consegue adaptar bem expressões atuais que adolescentes ou adultos que se comportam como adolescentes usam, por outro, muitas delas vão desaparecer na mesma velocidade de uma hashtag.

Ou então se tornar uma referência como foi Yu Yu Hakusho. Nunca se sabe.

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 18/10/2018

  • Luide

Afinal de contas, qual é a jornada de Jimmy em Better Call Saul?

  • 17/10/2018

  • Luide

The Newsroom e fake news: a responsabilidade de publicar uma notícia

  • 15/10/2018

  • Luide

O jeito certo de se contar uma história