Chef’s Table do Netflix transforma nossa relação com a comida em pura poesia

Série chega a sua segunda temporada, mas se você ainda não viu a primeira, reconsidere

Luide
Luide
24 de maio de 2016

A maior rede social do mundo é a comida” é uma das frases favoritas de Alex Atala, cozinheiro brasileiro que será um dos protagonistas da segunda temporada de Chef’s Table. Atala é o chef no comando do D.OM., único restaurante brasileiro com duas estrelas no conceituado Guia Michelin (cuja nota máxima são 3).

Ganhou fama por resgatar e transformar a culinária tradicional brasileira, utilizando ingredientes dos 4 cantos do país e também por matar um frango ao vivo durante um evento gastronômico repleto de chefs. Na época a polêmica criada foi de caso pensado. Atala queria lembrar a todos que antes de um delicioso churrasco chegar em sua mesa, uma morte precisa acontecer.

Atala tem razão ao dizer que a comida é uma rede social. Além de fonte de energia, une famílias, acolhe, dá paz, cria laços. Ainda criança no interior do Paraná onde cresci, os finais de semana onde meu pai acendia a churrasqueira eram meus momentos favoritos. Na cozinha minha mãe preparada arroz, batatas, macarrão. No fogo costelas, bistecas. No final, todos se reuniam para comer. O ritual que celebrava nossa união terminava com todos de barriga cheia.

A relação com a comida tem um valor quase espiritual para com os seres humanos. Foi a caça que nos tornou inteligentes, foi a agricultura que nos permitiu abandonar a vida nômade. E hoje, século XXI, estamos nos distanciando dela. A falta de tempo ou a pura preguiça, nos leva a comer com pressa, consumir alimentos processados, químicos, sódio demais, açúcar demais. Nos torna frágeis e sensíveis ao ver um chef compartilhando uma cabeça de porco. A comida se torna uma obrigação, uma necessidade, não uma celebração.

Chef’s Table S01E03 com Francis Mallmann foi o episódio de série que mais assisti em 2015

E esse poder que a verdadeira comida exerce sobre nós é o tema de Chef’s Table, série documental do Netflix. Se House Of Cards é sua obra mais importante e Making A Murderer a de maior impacto cultural, Chef’s Table é a mais bela e poética série original. Criada por David Gelb, diretor do maravilhoso documentário O Sushi dos Sonhos de Jiro, uma verdadeira ode a tradição japonesa, disciplina, foco e claro, ao alimento. E tudo isso foi transportado para Chef’s Table.

No Netflix David Gelb transcende a experiência gastronômica em algo quase místico. Com cada episódio focado em um renomado chef de cozinha, Chef’s Table mostra o impacto cultural e social desses homens que, através de suas filosofias de vida, transformaram ingredientes em verdadeiras obras de arte servidas sobre a mesa, e consequentemente, o despertar de uma reaproximação com o alimento.

Mais do que simplesmente uma “série sobre comida“, Chef’s Table vai em busca de experiências sensoriais. Tudo feito com maestria por David Gelb, que nos conduz por passeio por cozinhas ao redor do mundo. Bastante focada nas pessoas que dão vida aos pratos, Chef’s Table também ensina pequenas lições sobre otimismo, perseverança, liberdade e felicidade.

Pouco conhecida por aqui, a missão de focar os holofotes dos assinantes do Netflix brasileiro em Chef’s Table caiu nas mãos de Atala. Sua fama não é gratuita e se o chef que causa alvoroço em madrugas de Virada Cultural com sua galinhada, provavelmente irá despertar a curiosidade de alguns.

O que você irá encontrar é um reconfortante prato quente de poesia em forma de documentário. É a melhor série do Netflix. Eu te garanto. A segunda temporada estréia dia 27 de maio.

ps: se quiser, vá direto ao terceiro episódio da primeira temporada

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 27/02/2019

  • Luide

Tudo bem que você não gosta do carnaval

  • 21/02/2019

  • Luide

A sombra da sua própria obsessão

  • 06/02/2019

  • Luide

Um problema para Trotsky lidar