Porque Stranger Things é tão especial?

De onde vem seu amor pela série?

Luide
Luide
21 de julho de 2016

Minha mãe costumava brincar dizendo que ao fazer 10 anos, eu iria perder minhas “asas de anjo”. Segundo ela, ao chegar nos dois dígitos de idade, nós oficialmente saíamos da infância pra chegar na pré adolescência. Adorava ouvir ela contando essas histórias, mas hoje, perto dos 30, acredito que ela estava certa sobre uma coisa: ao deixar a infância a magia também nos deixa. As tais “asas” era essa nossa capacidade de acreditar no acreditável. É isso que eu iria perder. E perdi.

Ser criança é ter a mente livre. Nossos sentimentos ainda são crus, e tudo é uma grade descoberta. Não temos preconceitos, desavenças, nem problemas com o mundo. Está tudo ali ao nosso alcance, basta imaginar. Basta sonhar. A magia e o sobrenatural existem. Você não precisa explicar a ciência da coisa ou se passar por maluco. O monstro embaixo da sua cama existe.

Stranger Things celebra essa fase onde o real e o impossível coexistem, ao mesmo tempo que contrapõe a infância com outros dois momentos do desenvolvimento humano: a adolescência e a vida adulta. Cruzando essas três fases de nossa vida, Stranger Things promove uma verdadeira reflexão sobre quais são nossas prioridades e medos.

Enquanto as crianças enxergavam o desaparecimento do amigo como uma oportunidade de se aventurar, tornar físico todas aquelas histórias que eles ouviram falar. A busca dos adultos já possui um viés trágico, afinal, Jim e Joyce carregam consigo cicatrizes da vida. São essas marcas em nossa alma, conquistadas anos após anos, que vão apagando de nossa mente o poder de sonhar.

Ora, como posso acreditar no fantástico com dezenas de contas a pagar? Como posso rir de alguma bobagem se meu trabalho tira todas minhas energias? Como pensar em descobrir coisas novas se minha rotina tediosa me prende em um círculo infinito? Ser adulto também é se privar do relacionamento espontâneo da amizade. Quando se é criança, amigos são aqueles que são parte do seu círculo de vida. Você os encontra na escola, na rua, na quadra de futebol, a tarde em sua casa.

Já mais velho a amizade foi se tornando um evento. Dia e hora marcada pra ver o amigo, isso se ele tiver tempo. “passa lá em casa” ou “vamos marcar” são frases que você diz praticamente toda semana. E é esse distanciamento que vai te transformando em uma pessoa cada vez mais isolada, física e mentalmente.

Stranger Things é especial por deixar claro essa diferença entre o olhar de adultos e crianças para o mesmo problema. E você ama essa série não porque ela é cheia de referências pops, ou porque é bem dirigida. Nada disso. No fundo existe uma criança dentro de você olhando pra televisão e sentindo saudades da época em que você era como Mike, Will, Dustin e Lucas.

E você sabe que essa época… era uma boa época.

Seja assinante e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 20/05/2019

  • Luide

O velório da televisão

  • 15/05/2019

  • Luide

Terror em Chernobyl

  • 13/05/2019

  • Luide

Pra mim não tinha nada de óbvio na “Daenerys louca”