Um monstro chamado Elisabeth Moss

Seja como Peggy, Offred ou Robin, Elisabeth Moss é hoje a melhor atuação em séries dramáticas.

Luide
Luide
3 de agosto de 2017

Fazer carreira no cinema é algo bastante comum, mas ter o nome consolidado na TV graças as séries é algo recente. Não que antes não existiam ícones etc, mas hoje, graças ao dramas, é possível se alavancar depois de um excelente e marcante papel desenvolvido ao longo dos anos. Bryan Cranston e Jon Hamm são exemplos de quem é o que é hoje graças a seriados na televisão. E se hoje o caminho reverso é comum (estrelas do cinema indo pra tv), quem se coloca de vez como a principal estrela é Elisabeth Moss, filha direta da tv, que ao longo da última década marcou seu nome pra sempre na história graças a uma sequência invejável de boas atuações e personagens que são um reflexo do atual momento que a sociedade vive.

Elisabeth Moss viu de perto a televisão passar por uma revolução na forma de fazer conteúdo, já que ainda em 1999 era parte do elenco de The West Wing. Em 2007 foi a vez de migrar para outra série premiadíssima no Emmy, Mad Men, e foi ali que se consolidou de vez. Peggy Olsen é o papel de sua vida, e grande parte do que ela representa (a mulher contra o mundo) seria repetido em outros personagens. Em essência, Moss sempre viveu o mesmo papel, mas nunca o repetiu. Offred é o primeiro grande momento do pós-Mad Men e sua chance de provar versatilidade. E assim está fazendo, e se o Emmy lhe negar o primeiro prêmio de Melhor Atriz, nada mais fará sentido.

Acontece que antes de protagonizar The Handmaid’s Tale, Elisabeth Moss viveu Robin, uma detetive da Nova Zelândia em Top of the Lake, série que teve sua primeira temporada em 2013 e só retorna agora, em setembro de 2017. Exibida em Cannes, Top of the Lake: China Girl dividiu com Twin Peaks a honra de serem as primeiras séries de televisão no mais respeitado festival de cinema do mundo. Um reflexo do boom de criatividade e originalidade que vive a TV: não da mais pra ignorar. Mas as semelhanças entre Top of the Lake e Twin Peaks vão além de Cannes.

Quando escrevi pela primeira vez sobre a série de David Lynch, falei sobre como Twin Peaks criou uma fórmula de se fazer série, e como sua influência ainda segue forte. Top of the Lake é uma dessas que se inspira no que foi feito há 27 anos. A trama de uma cidade pequena, pacata e quase paradisíaca que tem seus pecados expostos após um crime bárbaro se repete, e cabe a Elisabeth Moss e sua personagem Robin dar a série um diferencial. E claro, ela consegue, levando a história nas costas. Que atriz incrível.

Enquanto o canal Sundance se prepara para receber a segunda temporada, a primeira chegou na Netflix Brasil, e ficou fácil pra você conferir mais esse momento incrível na carreira de Elisabeth Moss. Se o Emmy não fizesse distinção de gênero ao premiar a melhor atuação, ainda assim seria mais do que justo premiar Moss. Ela é um monstro e sintetiza tudo que existe de melhor na televisão: talento e representatividade.

Posts Relacionados
  • 10/08/2017

  • Luide

A Batalha dos Bastardos Vs Os Espólios de Guerra: qual episódio de Game Of Thrones se saiu melhor?

  • 10/08/2017

  • Luide

Conversas para uma quarta temporada de Hannibal já começaram. MAS…

  • 09/08/2017

  • Luide

Em Game Of Thrones, Drogon já tem o tamanho de um boeing 747