Para o criador de Black Mirror, o mundo está realmente f#dido

E o que sabemos sobre o quarto ano

Luide
Luide
13 de abril de 2017

Três temporadas e treze episódios depois, ainda tem muita gente achando que Black Mirror fala sobre “os males da tecnologia” ou “tenta prever o futuro“. Assim como qualquer ficção científica, ou mais especificamente o cyberpunk, sub-gênero a qual a série pertence, Black Mirror quer falar sobre a condição humana, com um olhar bastante focado na sociedade. É o básico do básico pra absorver a série.

Para o criador Charlie Brooker isso sempre esteve bastante claro, e basta assistir ao curta-metragem que foi uma de suas inspirações para criar a série, pra notar que o sub-texto presente em Black Mirror é mais importante que a história em si. De qualquer forma o próprio Brooker se assusta quando sua obra acaba, sem querer querendo, refletindo a realidade aqui de fora.

Quando eu estou escrevendo, eu não acho que nenhuma dessas coisas se tornará realidade, e então parece que algumas delas se tornam. É preocupante no geral”. Em entrevista ao Radio Times, Charlie Brooker ainda falou sobre sua visão nada otimista sobre o atual momento que o mundo passa, e que caso o futuro apresentado na quarta temporada se torne realidade, nós realmente estaremos bem f*didos.

“Nessa próxima temporada, os episódios estarão bem distantes da possibilidade de se tornarem realidade, então eu não vejo isso como um problema. Mas se isso acontecer, o mundo está fodido… Bem, o mundo está realmente fodido, então… Veremos”


O que sabemos da quarta temporada de Black Mirror?

Serão seis episódios que chegam a Netflix ainda em 2017. Jodie Foster (O Silêncio dos Inocentes) e John Hillcoat (A Estrada) são os únicos diretores confirmados.

Em março passado, ao The Telegraphy,  Charlie Brooker deu detalhes de alguns episódios do quarto ano. Ao que parece, Black Mirror continuará explorando novos gêneros, assim como fez na temporada passada, com Playtest (terror), Men Against Fire (guerra) e Hated in the Nation (série procedural ruim).

“Um episódio está sendo gravado na Islândia… temos alguns pontos de vista diferentes: um é abertamente cômico, muito mais cômico do que qualquer coisa que já fizemos, com elementos de histórias em quadrinhos bastante comuns, mas também com coisas realmente desagradáveis” revelou Brooker. Sobre o episódio dirigido por Jodie Foster, a atriz Rosemarie DeWitt (Mad Men) foi confirmada como protagonista: “Terá um tom de um filme independente. Será sobre a relação entre uma mãe e a sua filha”.

É aguardar.
A Netflix ainda não confirmou a data da quarta temporada.

 

Posts Relacionados
  • 27/04/2017

  • Luide

É impossível ser Nora Durst.

  • 26/04/2017

  • Luide

É inevitável que Mike roube a cena em Better Call Saul. Por enquanto

  • 25/04/2017

  • Luide

O retorno da boa e velha comédia de erros chamada FARGO