Imitando 11 personagens de Orange Is The New Black

Deem um Emmy Awards pra essa mina

20 de julho de 2015

Orange Is The New Black tem um elenco magnífico e apaixonante. Tudo isso graças a diversidade única que a série trás, contando história de mulheres de todos os tipos (parece até a vida real, né?). Seria impossível o agora drama do Netflix não possuir um catálogo gigantesco de personagens marcantes, cada um com o seu jeito único.

Eis que uma youtuber resolveu homenagear a série imitando 11 personagens que fracamente, só de ouvir a entonação da voz você consegue saber quem é. MUITO LEGAL!

Piper, Flaca, Red, Black Cindy… Meus personagens favoritos estão aí. Sensacional.

Além de concorrer a MELHOR DRAMA, Orange Is The New Black concorre a sabe o que? Óbvio: Melhor Escolha de Elenco \o/

Obrigado por tudo, James Gandolfini!

Obrigado por tudo, Tony Soprano!

17 de julho de 2015

Terminei The Sopranos.

Foi em 2014 quando resolvi pagar uma dívida comigo mesmo e dar início a uma maratona dessa série que todo mundo dizia que era boa, mas eu nunca corri atrás de saber se era verdade.

6 temporadas depois lá estava eu tremendo de ansiedade, com um nervosismo inacreditável e os olhos cheios de lágrimas esperando a Meadow se juntar a Tony, Carmela e A.J. e comer uns anéis de cebola. Ainda não caiu a ficha que nunca mais verei nada novo de Sopranos.

Sopranos é uma obra prima. David Chase mudou a TV pra sempre quando resolveu contar a história de Anthony John Soprano. Se existe Walter White, Frank Underwood, Jax Teller, é porque em 1999 Tony teve uma ataque de pânico e foi parar no divã de uma psiquiatra.

Depois disso tudo mudaria. Sopranos ensinou a tv como transformar um monstro em ícone pop e amado por todos. Ao entrar na mente de Tony e tentar entender o que motivava aquele mafioso a ser o que é, a David Chase pavimentou uma estrada que seria usada por muitos. Inclusive por Gilligan ao criar Breaking Bad, a série que de fato mudou minha maneira de consumir conteúdo.

É engraçado que se não fosse por Breaking Bad, eu jamais teria chego a Sopranos. E se não fosse por Sopranos, eu jamais teria visto Breaking Bad.

James Gandolfini será pra sempre Tony Soprano. Seu personagem brincou com nossa mente durante seus 86 episódios, sua inquietude, sua explosão, seus ataques, seu amor e honra. Tentei entender Tony Sopranos e sem querer comecei a me entender. A jogada psicológica é inevitável, você o tempo todo se coloca no lugar dele.

Máfia, família, amigos, crime, dinheiro.
Nada pode ser maior que Sopranos.

Obrigado por tudo Tony Soprano. Obrigado por tudo James Gandolfini! E aproveite os anéis de cebola, eles são os melhores do estado.

A nova geração de mutantes coloridos nas imagens de “X-Men: Apocalypse”

Um pouco de cor não faz mal a ninguém

16 de julho de 2015

Há 15 anos atrás o primeiro filme dos X-Men chegava aos cinemas e marcaria o início de uma febre de adaptações de quadrinhos. De lá pra cá muita coisa foi feita, mas uma é certa: os estúdios tem medo de heróis coloridos. Ao contrário dos quadrinhos onde todo mundo parecia um carro alegórico, na telona a coisa é diferente. E talvez o grande responsável por isso pode ter sido os próprios mutantes.

Nolan também ajudou pra deixar tudo mais sério e dark, mas na boa, não custava nada uns uniformes coloridos de vez em quando. Ainda bem que o Bryan Singer resolveu deixar o mundo mais alegre em “X-Men: Apocalypse” e as primeiras imagens oficias provam isso.

Depois do vazamento do trailer exibido na Comic Con, a FOX deu um jeito de liberar algumas imagens pra conter a manada histérica. Na capa da EW dessa semana, temos Psylocke, o próprio vilão e Magneto de visual novo:

Também foram liberadas imagens individuais dos cincos principais mutantes do time Xavier, e olha, finalmente da pra diferenciar um do outro… não ficou aquela coisa uniforme escolar.

E porra, os caras estão nos anos 80, não existe desculpa melhor para eles se vestirem ridiculamente.

Alexandra Shipp como Tempestade

Lana Condor como Jubileu

Tye Sheridan como Ciclope

Kodi Smit-McPhee como Noturno

Sophia Turner como Sans… digo, Jean Grey

O filme estréia em maio de 2016.

Ô Emmy Awards, tá de sacanagem com a minha cara?

Lista de indicados para a prêmio máximo da TV saiu nessa quinta feira

16 de julho de 2015

Eu gosto bastante do Emmy. É legal essa coisa de torcer por uma série que você gosta, ver o pessoal todo bonito no Tapete Vermelho e quem sabe descobrir algo novo. Foi em uma dessas premiações que descobri The Newsroom. Mas o Emmy é só uma noite onde algumas pessoas saem com alguns troféus e fim. Nada muda, segue o jogo.

Game Of Thrones lidera com 24 indicações. WOW!

Não é bem um parâmetro do que é bom ou ruim, é mais uma comemoração da indústria mesmo. Um exemplo é The Wire, a série que tem o roteiro mais brilhante de todos os tempos, nunca nem indicada foi. São coisas da vida. É claro que eu torço bastante para ver minha séries favoritas recebendo o prêmio máximo da noite, mas se não acontecer, paciência.

Esse ano eu tinha certeza absoluta que as duas melhores estreias de 2014 estariam na lista de indicações: The Affair e The Knick. Mas sobrou apenas uma indicação de Melhor Diretor para Steven Soderbergh por The Knick. Uma pena, já que a série do Cinemax é brilhante. The Affair ser totalmente esquecida é inacreditável, mas enfim, parece que quando algo vai bem no Globo de Ouro é certeza que gonga nas outras premiações.

Os setes indicados desse ano a Melhor Drama são:

  • Better Call Saul
  • Downton Abbey
  • Game of Thrones
  • Homeland
  • House of Cards
  • Mad Men
  • Orange is The New Black

Mas se eu sofro por The Affair e The Knick, fico MUITO feliz em ver Better Call Saul e Orange Is The New Black indicadas. Mais ainda, saber que Bob Odenkirk e Jonathan Banks estão indicados a Melhor Ator e Melhor Ator Coadjuvante, só prova como Better Call Saul conseguiu sair da sombra do irmão mais velho. É uma PUTA conquista.

Orange mostra que as mudanças do Emmy não fazem diferença. Indicação mais do que merecida pra essa série LINDA que fala de tanta coisa importante sem parecer cafona.

Chuta pra quem eu vou torcer esse ano…

Mas talvez a indicação que mais me deixa orgulhoso é Homeland. Porra, como eu AMO essa série e como eu fiquei triste com aquela terceira temporada tenebrosa. Mas a série deu uma volta por cima excelente e a quarta temporada fez por merecer não só a indicação principal, mas também de Melhor Atriz para Claire Danes.

Agora, mesmo gostando da quinta temporada de Game Of Thrones eu não acho que mereça estar aí. Mas a série é pop e o Emmy também quer público. Lena HeadeyEmilia Clarke foram indicadas a Melhor Atriz Coadjuvante. Na boa, até o Drogon CGI atua melhor que a Emilia Clarke. Peter Dinklage também ganhou sua indicação de Melhor Ator Coadjuvante… ai, ai. Ok né.

Outra série que não merecia estar aí é House Of Cards com sua terceira temporada fraca. Infelizmente o drama virou uma caricatura de si mesmo e se não fosse pelas excelentes atuações de Robin WrightMichael Kelly… ainda bem que ambos foram indicados para Atriz e Ator Coadjuvante. Ah, Kevin Spacey também foi indicado a Melhor Ator e tal.

Apesar de não ter acompanhado a reta final de Mad Men, sinto que a série vai ganhar tudo o que for possível, afinal, estamos falando de uma queridinha que já levou 4 Emmys seguidos.

A premiação do Emmy Awards acontece dia 20 de setembro e até lá, sua missão é ver de uma vez por todas The Affair e The Knick. Quero outras pessoas para se revoltarem comigo.

Homem Formiga: um filme pra dar umas risadas

Nova aposta da Marvel tem cenas absurdamente engraçadas. E só

15 de julho de 2015

Depois que Guardiões da Galáxia fez mais de 700 milhões de dólares a Marvel provou que pode levar para as telas dos cinemas o herói desconhecido que for, porque não interessa, eu, você e outras milhões de pessoas vão assistir. Independente de quem são os atores, diretores, roteiristas… você vai assistir e ponto. É a Marvel.

Sabendo do seu enorme poder, chega aos cinemas Homem Formiga. Mais um daqueles filmes que irá gerar frases como “mais um acerto da Marvel” ou “é assim que filmes de super herói tem que ser“. De fato, pode-se dizer que as duas fazem sentido dentro desse universo compartilhado que o estúdio faz há anos e continuará fazendo até sabe deus quando. Mas é preciso ser franco: Homem Formiga é um filme engraçado. E nada mais.

Eu realmente cogitei a possibilidade de Homem Formiga ser algo no nível de Guardiões da Galáxia ou quem sabe o mais original longa do estúdio. Mas no final acaba sendo apenas mais um filme que serve como complemento dentro da linha do tempo Marvel. Serve para introduzir um personagem, contar uma história aleatória e te fazer soluçar de rir.

Porque na boa, Homem Formiga é MUITO engraçado. Algumas cenas são inacreditáveis de tão boas, como aquela do trenzinho que saiu no primeiro trailer. Sério, é tudo muito divertido quando a perspectiva das batalhas é trocada. Paul Rudd mata a pau no seu papel e já é um dos meus heróis favoritos.

E por ser uma comédia (que fica ruim quando tenta ser séria) Homem Formiga tem tudo a ver com o próprio Paul Rudd. O cara é carismático, engraçado e parece muito a vontade em vestir o uniforme. Uma ótima escolha no fim das contas. Mas ele é o único que funciona, não que a culpa seja do elenco, mas sim do roteiro. As relações são muito rasas e você não entende direito porque algumas pessoas ali se odeiam ou se amam. É tudo muito superficial e básico.

E adivinha onde as coisas são exatamente assim? Pois é, em comédias.

Dizem por aí que Edgar Wright saiu da direção depois que suas ideias para o filme bateram de frente com o Jeitinho Marvel De Fazer Cinema. Wright não queria esses momentos sentimentais novelão e Homem Formiga já ter que nascer na obrigação de ter tudo amarrado com os outros filmes. E só de pensar em como tudo seria se a Marvel tivesse dado carta branca… poxa.

O que me deixa com um fio e esperança é que a concorrência começa a aparecer no retrovisor. E ao contrário do que foi dito por aí, filmes como Batman V Superman não vão acabar com o cinema de heróis. Isso faz com que todo mundo saia da zona de conforto e passe a fazer filmes mais originais e sem medo de errar.

Homem Formiga tem cenas boas e engraçadas, mas ninguém ri duas vezes da mesma piada.

E deu MUITA merda em True Detective…

"Down Will Come" (S02E04) nos coloca dentro de uma das melhores cenas de toda série

15 de julho de 2015

A última coisa que filmes ou séries de ação pensam ao criar grandiosas cenas de tiroteio, explosão, gente morrendo e etc é no realismo. Polícia e bandido trocam disparos, pessoas morrem, carros voam, câmera tremendo, correria pra lá e pra cá e você nunca entende muito bem o que está acontecendo. Afinal, isso não importa. O que importa é sua diversão. E claro, consequência zero disso tudo.

Mas então. Isso não rola em True Detective. No episódio “Down Will Come” a cena final já entra para a curta história da série como uma das mais bem conduzidas. Um verdadeiro show de como colocar o espectador dentro de uma merda gigantesca.

Quanto os disparos terminam e vemos a reação de nossos detetives, fica claro que tudo ali deu errado.  Explosões, acidentes e o pior: vários civis e policiais mortos ou feridos a custa do que? De uma suspeita? A expressão nos olhos de Ani deixa claro a mancha de sangue deixada por eles não vai sair tão fácil.

Essa cena é enigmática. Afinal, WTF foi essa loucura toda? A reação agressiva dos suspeitos é pra deixar você com uma bela pulga atrás da orelha. Era como se algo mais estivesse em jogo, algo que não podemos ainda saber. Quer dizer, algo que nossos detetives não podem saber.

A teia de mistérios está cada vez mais prendendo nossa atenção em True Detective. A morte de Caspere vai aos poucos se tornando mais complexa e o caso tomando rumos estranhos. Porém em momento algum a série se esquece do principal elemento: seus protagonistas. Os últimos episódios ajudaram Frank Semyon a crescer e revelar mais um pouco de si. Ele é o típico mafioso que todos temem e respeitam sem saber mais o porque.

Mas hoje é dia exaltar a atuação de Taylor Kitsch. Seu personagem Paul já é o mais intrigante da série e seu diálogo com Velcoro (Pizzolatto nos coloca dentro de um carro novamente) é fantástico. O que de fato perturba a mente desse rapaz? True Detective também nos faz um pouco de detetive, afinal, a todo momento estamos tentando ler seus personagens. Isso meu amigo é a melhor coisa quando se vê uma boa obra de TV.

Porque pior que uma cena de ação mal feita são personagens rasos e caricatos. E ufa! True Detective passa longe desses clichês baratos e fáceis.

Topo ^