Que história é essa que Jurassic World 2 não será sobre dinossauros perseguindo pessoas?

Mas a graça do filme não é essa? O T-Rex causando?

3 de agosto de 2015

Muitos acharam que o mundo moderno não ama mais dinossauros e que celulares com Snapchat são mais divertidos que um T-Rex se alimentando de uma cabra. Engano… Jurassic World chegou chutando a bunda de carros velozes e Vingadores e se tornou a terceira maior bilheteria da história com mais de 1,5 bilhãozinho arrecadado.

Tanto sucesso obviamente garantiu uma continuação e eu como um bom fã dos GIGANTES JURÁSSICOS não poderia estar mais feliz. E quem está com a bola toda é Colin Trevorrow (que segundo rumores pode até dirigir um dos filmes de Star Wars) que deu uma entrevista ao site Wired ele falou sobre a continuação de JW, prevista para 2018.

Não será só um monte de dinossauros perseguindo pessoas em uma ilha. Isso cansa rápido…

EPA PERA LÁ MUITA CALMA LADRÃO! Como assim cansa rápido? É a coisa mais legal de se ver na tela de um cinema: dinossauros correndo atrás de humanos para comer, mutilar, estraçalhar, fazer coisas que até deus duvida.

Acontece que se você parar pra analisar os seres humanos do universo de Jurassic Park/World são os mais burros da história. Por mais que esteja claro que entrar em uma ilha com monstros gigantes seja algo extremamente perigoso, eles sempre voltam… e voltam… e voltam… Mas Trevorrow quer acabar com essa tradição.

“Sinto que a ideia é que isso não seja sempre limitado a parques temáticos e existem aplicações para esse conhecimento científico que vão além do entretenimento…  E se essa tecnologia se tornasse disponível para todos? […] O Dr. Wu diz no filme, quando ele está alertando o Dr. Masrani, ‘Nós não seremos os únicos que podem fazer um dinossauro para sempre’.”.

Se a sua atenção durante o filme não foi desviada apenas para os dinos, percebeu que o Dr. Wu roubou algumas amostras de DNA e aquele personagem chato do Vincent D’Onofrio tinha planos bem diferentes para eles. Então temos aqui uma espécie de “código aberto” de dinossauros no segundo filme e aplicações deles para diversas coisas além de parquinho? Dinossauros trabalhando em lavoura? Em plantações de arroz na China? Raptores armados contra o Estado Islâmico? São várias as possibilidades…

Chris Pratt e Bryce Dallas Howard estão confirmados na sequência. Não se sabe se Collin Trevorrow volta pra dirigir, mas mesmo assim ele está trabalhando no roteiro. Mesmo com essa pegada global, poxa mano, dinossauros perseguindo pessoas é sempre a melhor opção.

Forte abraço.

Ok, o trailer de “Goodnight Mommy” é realmente ASSUSTADOR

Tô embaixo da cama já, foi mal

3 de agosto de 2015

Como comentei rapidamente outro dia em vídeo, não sou lá o maior fã do gênero de terror. Os filmes de hoje em dia conseguem dar sustos, mas não conseguem ser perturbadores. Aquele filme que você termina de ver e fica pensando nele durante um bom tempo. Aquele tipo de filme que realmente te tira algumas horas de sono.

Mas eu preciso confessar: liguei até pra minha mãe depois de ver o trailer desse filme austríaco chamado “Godnight Mommy“. Sucesso de crítica por onde passa (por enquanto exibido apenas em festivais), muitos já o consideram um dos melhores do gênero feito nos últimos anos.

No trailer liberado no fim de semana somos apresentados a apenas três personagens: dois irmãos gêmeos e uma mãe que acabou de voltar de uma cirurgia plástica. A montagem deixa aquela sensação estranha, uma ansiedade que não da pra explicar. Ou seja: medo mais puro. Assiste aê:

O filme chega em SETEMBRO nos EUA. No Brasil só deus sabe quando…

Fãs se reúnem para criar versão remasterizada do clássico Mortal Kombat

Uma versão HD do clássico game sangrento dos fliperamas

30 de julho de 2015

Um dos games que mais gastei fichas nos fliperamas da vida foi Mortal Kombat. Mas eu era muito ruim e tinha medo do Goro, então, chegou uma época que eu gostava mesmo era de ver a moçada jogar. Ficava lá pasmado vendo os malucos dando uns fatality e tomando uma tubaína. Depois das duas próximas versões que viriam, só voltaria a jogar MK na daoríssima versão 9.

Mesmo assim aquela sensação de ver a terra tremer quando o Goro se aproximava nunca mais foi sentida…

Olha ele ai todo bonito em HD!

Eis que um grupo de fãs resolveu matar a saudades e trazer para a gloriosa qualidade HD o game de 1992. Com uma nova técnica de animação eles estão recriando todos os personagens e seus movimentos. Se você ainda não sabe, o jogo clássico foi feito com atores reais… pensa. O grupo está há um bom tempo desenvolvendo a versão remasterizada, e antes de ser lançado eles liberaram algumas imagens e um gameplay de como tá ficando a parada.

Meu amigo… simplesmente sensacional!



Aquele tipinho: gente chata que vai no cinema…

... encher o saco de quem quer ver um filme de boa

29 de julho de 2015

É pedir muito que as pessoas fiquem em silêncio por apenas duas horas?
É querer demais que as pessoas sejam educadas em público?
É sonhar alto que um dia irão perceber que ficar 5 minutos sem olhar no celular não mata ninguém?

Se vivo em um mundo imaginário eu não sei, mas quero acreditar que essas coisas são possíveis.

O futuro Universo DC nos cinemas é um legado de Christopher Nolan

Zack Snyder mostra respeito ao diretor que definiu o tom dos filmes da DC

29 de julho de 2015

Não da pra negar que o trabalho de Christopher Nolan é simplesmente a obra mais poderosa dos cinemas quando o assunto é adaptação de quadrinhos. Foi praticamente uma bomba que explodiu e espalhou sua influência por diversos filmes, que de uns tempos pra cá sempre procuram um aspecto mais realista (muitas vezes fica uma merda, mas tudo bem) para encaixar no “mundo real” pessoas extraordinárias.

Volta e meia sai por aí uma lista de Melhores Filmes de Super Heróis ou até mesmo Melhores Filmes de Todos os Tempos e adivinha quem sempre é citado? Cavaleiro das Trevas. Recentemente foi a BBC que colocou a segunda parte da trilogia de Nolan entre os 100 melhores filmes americanos de todos os tempos (posição 96ª).

Em 2012 quando terminou a sessão de Batman Rises eu levantei da cadeira do cinema e aplaudi, foda-se a vergonha que minha namorada passou, mas eu precisava agradecer ao Nolan pelo conjunto da obra.

No ano seguinte ele voltaria como produtor de “Man Of Steel“, dessa vez sob o comando de Zack Snyder. A influência de Nolan era visível nessa história de origem do Super, filme responsável por abrir de vez o caminho pra todo o panteão de heróis da DC nos cinemas. E em recente entrevista a EMPIRE, o Snyder demonstrou um respeito e gratidão a obra de Christopher Nolan.

Ele respondeu sobre a ideia de unir de cara os dois maiores heróis da DC e não fazer um filme solo do Batman antes:

“… isso seria uma proposta muito mais difícil, porque os filmes de Chris são bons demais. Nós vivemos em gratidão a esses filmes. Chris definiu o tom para o Universo DC, e nos separou dos filmes da Marvel de forma significativa. Nós somos o legado desses filmes”

Bacana isso.

O Snyder tem total razão quando diz que foi graças ao Nolan que a DC conseguiu se diferenciar do tom mais leve dos filmes da Marvel. Não da pra negar que o Batman da Trilogia Nolan é inesquecível e que podem vir outros tão bons, mas melhores é difícil.

Outro ponto interessante da entrevista é quando Snyder fala sobre a construção da Liga da Justiça e como filmes solos podem ter sim identidade própria.

“Estamos construindo a base. É tudo uma grande história. O conceito da Liga da Justiça foi a primeira coisa que definimos. Os outros filmes, de certa forma, têm que apoiar isso. Os filmes de Aquaman e Mulher-Maravilha têm seus próprios conceitos criativos, mas servem a Liga da Justiça quando esses heróis se reunirem”

Vocês não tem ideia do quanto isso me anima. Saber que os diretores terão liberdade para criar seus filmes sem essas amarradas de ficar lembrando o espectador que tudo ali faz parte de um plano maior… porra. Esperança de bons filmes.

Synder é um cara que eu gosto e confio e tenho certeza que o legado do Nolan está em boas mãos.
Boa sorte a ele e toda equipe Warner/DC nessa empreitada. No final só existe um vencedor: os fãs.

Puta merda, cancelaram Banshee =/

Quarta temporada será a última

29 de julho de 2015

Uma das séries mais divertida da TV terá sua última temporada em 2016. Banshee do canal Cinemax foi cancelada e os produtores já trabalham para encerrar a história no quarto ano, segundo informações do site TV Line.

Puta merda, é uma notícia realmente triste. Banshee é aquele tipo de galhofa honesta com você (ao contrário de muita porcaria por aí) que não abusa da sua inteligência. Ela te pega pelas soluções e situações bizarras, personagens intensos, muita mina gata e porradaria como ninguém mais na tv sabe fazer igual.

A série até que registrava bons números de audiência para um canal como Cinemax (um braço da HBO), mas ainda assim quase insignificante se comparado a monstros como The Walking Dead e Game Of Thrones. Enquanto os sucessos da AMC e HBO passam da casa dos 10 milhões de espectadores, Banshee em 2014 quebrou o recorde do canal com 700 mil pessoas. Pois é.

Não da pra saber se a culpa do cancelamento é a audiência, mesmo assim é uma notícia triste para os fãs do Lucas Hood, o Batman da TV, o cara que apanha todo episódio e mesmo assim tá sempre bonitão. Poxa, se existe uma série que sabe fazer boas cenas de porrada é Banshee, ah mano tô triste.

Pelo menos a série vai acabar no auge e não vai se desgastar por várias temporadas.
Ahhh que saco. Aqui no Amigos do Fórum fiz dois posts falando sobre Banshee: “A galhofa repleta de sangue, sexo e violência de Banshee” e “Uma pergunta séria: você assiste Banshee?“. Aproveita que tá todo mundo de luto e faça um favor a si mesmo:

VÁ VER BANSHEE CARALHO!

São episódios assim que faz de True Detective a série que é

Com direção impecável, "Church in Ruins" é o auge dessa segunda temporada

28 de julho de 2015

O que faz de True Detective uma série acima da média? Essa pergunta pode ser facilmente respondida após o sexto episódio desse segundo ano. Sob a direção de Miguel Sapochnik temos aqui o melhor episódio dessa temporada, conduzido com maestria e criando situações de tensão inacreditáveis sem apelar para o óbvio.

Mais uma vez True Detective faz aquilo que sabe de melhor: desenrolar a trama sem colocá-la em primeiro plano, sempre destacando seus protagonistas. E o trabalho do diretor Miguel Sapochnik foi crucial pra isso acontecer e bom, o cara dirigiu “Hardhome” (S05E08) de Game Of Thrones, ou seja… manja do que faz.

True Detective mostrou o que é em “Church in Ruins” em diversos momentos. Pra começar com o poderoso confronto entre Velcoro e Frank, frente a frente em uma mesa. Você soa frio junto deles, sua pressão sobe e a sensação de “vai dar merda” é única. O olhar de Velcoro consegue transmitir todo ódio, tristeza e desespero do personagem, que enquanto fala com Frank, consegue enxergar tudo de ruim que aconteceu em sua vida até aquele momento. “É culpa dele, pegue sua arma e atire!” provavelmente gritava o inconsciente de Velcoro.

Colin Farrell é o grande nome dessa temporada. O personagem consegue transmitir uma intensidade inacreditável, é como se uma panela de pressão caminhasse por aí. Como se não bastasse esse confronto com Frank, Miguel Sapochnik ainda coloca cara em uma cena totalmente desconfortável com o filho (ele realmente não consegue mais ser pai), em outra totalmente destruído com a ex-esposa (ele aceita sua condição e entrega o filho para a esposa) e como desgraça pouca é bobagem, ainda precisa olhar nos olhos do homem que de fato causou toda essa dor. É muita coisa pra um só homem suportar.

É aquela história lá do primeiro episódio, onde cada um tem o mundo que merece. O de Velcoro é próprio inferno.

Ô mulher… <3

É engraçado que ele não consiga dizer uma palavra sequer pro filho mais interessado em Friends e pizza, enquanto Frank da um discurso reconfortante pra uma criança que acabou de perder o pai. Talvez Frank deveria investir nesse ramo: pai de família, porque nos negócios o cara não vem levando umazinha sequer. Ele é até meio amador lidando com os mexicanos, abrindo as pernas até onde pode pra tentar ter alguns minutos com a mocinha que assaltou a casa de Caspere.

Frank usa de seus meios e Ani também. A cena na mansão foi muito bem construída, revelando um passado um tanto estranho da personagem. Uma bela sequência na tão esperada suruba dessa temporada. Restando mais dois episódios, fica claro que teremos muita coisa acontecendo em pouco tempo. Mas eu confio Nic Pizzolatto, eu confio em True Detective.

Topo ^