Os novos desafios de Frank Underwood no trailer da 3ª temporada de “House Of Cards”

O terceiro ato de Frank

12 de janeiro de 2015

Aproveitando que seu garoto de ouro Kevin Spacey acabou de levar o Globo de Ouro de Melhor Ator em Drama, o NetFlix liberou o primeiro trailer da terceira temporada de “House Of Cards“. E obviamente, Frank não terá um mandado tão tranquilo como sonhou…

Frank Underwood, o homem mais poderoso do mundo.

Ps: é o Putin aos 14segs?

Adeus, Mario: alta taxa de impostos faz com que Nintendo saia do Brasil

Jogos e consoles não serão mais distribuídos no Brasil

9 de janeiro de 2015

Sabe quando você vai no cinema e paga cerca de 45 reais pra ver um filme 3D?
Sabe quando você vai comprar um game e ele custa 200 reais?
Sabe quando você vai comprar um colecionável e ele simplesmente custa 10 vezes mais que lá fora?

É um sentido escroto saber que consumir cultura pop no Brasil seja tão caro. Aliás, consumir qualquer coisa por aqui é caríssimo. E enquanto nós vamos levando, algumas empresas simplesmente ficam de saco cheio e vão embora daqui. E hoje, a notícia que pegou todos os fãs de surpresa é que a Nintendo resolveu encerrar suas atividades por aqui. Com a palavra, Bill van Zyll, Diretor e Gerente Geral para América Latina da Nintendo of America.

O Brasil é um mercado importante para a Nintendo e lar de muitos fãs apaixonados mas, infelizmente, desafios no ambiente local de negócios fizeram nosso modelo de distribuição atual no país insustentável”

Enquanto o Brasil cresce como mercado, e eventos como Comic Con Experience mostram que aqui é um bom lugar para se investir, a Nintendo nada contra a corrente e da adeus a esse povo bronzeado. Mas claro, apesar dos impostos por aqui serem absurdamente altos, a Nitendo vive uma crise financeira há algum tempo.

Somente na Europa em 2014, a empresa demitiu 320 funcionários. Era de se esperar que a crise uma hora ou outra batesse desse lado do Atlâncio. A partir de agora, a Nintendo é a única grande empresa de games que não mantem atividades no Brasil e não distribuirá mais jogos e consoles no por aqui. E quanto a nós, continuaremos com a internet mais lenta do mundo… com o iPhone e PS4 mais caros…

O mundo microscópico do Homem Formiga

Um "universo" onde nenhum outro herói poderá chegar

8 de janeiro de 2015

Ah, eu já sabia que Guardiões da Galáxia seria um filmaço“. Não, não sabia. Por mais que você confie mais na Marvel do que em sua mãe, provavelmente torceu o nariz quando soube da notícia que os malucos da Casa das Ideias e Disney colocariam uma árvore falante (mesmo esse falante = três palavras) nas telas. Mas veio então julho, Guardiões estrou e pronto: o filme de 2014. Aquele que daqui há 10 anos irão te perguntar “como foi o ano de 2014?” e você vai mandar “ah… teve Guardiões da Galáxia!“.

Depois de Guardiões, eu prometi que nunca mais iria duvidar da poderosa Marvel Studios e suas produções malucas, até mesmo um Homem Formiga seria (e será) muito bem vindo. Mas eis que veio o primeiro teaser trailer e… hm…

Genérico. Essa seria a palavra que se encaixa melhor com os 1:52 mostrados ali. Diferente de “Os Vingadores – A Era de Ultron“, ninguém saiu virando mortal duplo carpado. É claro, foi só um teaser e tal, mas pensando aqui e ali, o que poderia tornar esse filme ESPETACULAR? Talvez explorar um universo que nenhum outro herói da Marvel conseguirá explorar nos cinemas: o microscópico.

BELÍSSIMA arte conceitual de “Homem Formiga”: eu quero esse mundo!

Lembra lá em 2013 quando vazou uma filmagem teste do ainda provável Homem Formiga? De fato, foi milhares de vezes mais bacana que esse trailer. Afinal, mostrou muito do que o herói pode fazer dentro do seu “mundo”, variando entre os tamanhos e sentando a porrada. No teaser dessa semana, a parte mais PQPARÍVEL foi, sem dúvidas, o Formiga voando em uma vespa. Ou formiga rainha como alguns leitores avisaram…

Imaginar o que a Marvel pode aprontar com essa ideia, de como ela irá aproveitar esse mundo microscópio… faz com que até mude de ideia a respeito de minha previsão sobre o filme ser um fracasso. Vocês gostaram de um Guaxinim portando um trabuco? Então toma um homem montado em uma vespa! (ou formiga rainha, sei lá caras). E só pra comparar, a filmagem teste exibida na Comic Con em 2012:

Valeu, Amazon! Edição de colecionador de “Batman: Arkham Knight” entrega final do game

Parabéns ai fera

8 de janeiro de 2015

Existem dois tipos de pessoas no mundo: as pobres e as ricas que podem comprar edição de colecionador de games/filmes/séries. Se você, assim como eu, até hoje namora o barril de Breaking Bad deve saber do que estou falando. No mundo dos games, as edições de colecionador são sempre um show a parte. Até hoje estou com a mão coçando pra comprar a de “Batman: Arkham Origins“, que vem com uma estátua FODA do Coringa.

ENFIM. Acontece que bem antes do lançamento oficial do game, as edições de colecionador já entram em pré venda. Tudo pra você esfregar na cara dos amigos.  E eis que a Amazon aproveitou essa semana pra lançar oficialmente a pré venda da edição de “Batman: Arkham Knight“, que além do game, vem com uma HQ prequel, artes do jogo e uma estatueta incrívelmente foda. Porém, esqueceram que a tal estatueta tem uns certos dizeres…

“De uma grata cidade, em memória ao Cavaleiro de Gotham” - OPS!

Não durou muito tempo no ar, e logo após a imagem foi substituida. Entrou outra estátua sem os dizeres. Bem, de fato não faz muito sentido né? O cara compra o jogo e de cara já leva um spoiler, pqp.

Mas agora você já sabe: O BÁTIMA MORRE NO FINAL.

O romance psicológico de “The Affair”

Série do "Showtime" dividi o ponto de vista dos protagonistas e torna o espectador um observador

7 de janeiro de 2015

Existe algo mais simplório que o amor? Existe algo mais cansativo que observar um casal apaixonado em suas armações & mancadas? Parece coisa de novela das 8. Manoel Carlos e suas Helenas. Amor, traição, marido que sai de casa, esposa que não sente mais desejo pelo parceiro. Filhos adolescentes insuportáveis, um casal de sogros que vivem apontando o dedo na cara. Blá, na boa, qualquer coisa que tenha amor e traição como tema é chato. Whatever, fique longe de mim!

Bom, mas dai chegou The Affair.

The Affair, nova aposta do canal Showtime, responsável por obras como “Dexter” e “Homeland“, foi um sucesso de crítica e público lá fora, é uma das indicadas ao Globo de Ouro. Foi cabeça de chave em várias listas de Melhores do Ano. “The Affair” é simplesmente a série mais instigante que conheci nos últimos anos. Uma série de detalhes. De olhares. De silêncio.

A série consegue prender o espectador durante seus 10 incríveis episódios com uma segurança que poucas conseguem. Um romance de verão que resultou em uma tragédia. Mas nada, nada gratuito. Nada de mão beijada. Nada. E pra tentar explicar um pouco, seguirei sua estrutura genial que a dividi em dois pontos de vista: Noah e Alison.

Parte 1: Noah

Noah Solloway (Dominic West) é escritor e professor. Casado e pai de 4 filhos, viu seu último livro fracassar nas vendas. No verão, ele parte com sua família para Hamptons, um balneário em Nova York. Lá ele se hospeda na casa dos sogros milionários. Noah é um homem feliz, que ama sua família. Porém existe uma constante cobrança a respeito de seu “sucesso”. Noah conhece Alison em uma lanchonete. Alison é uma verdadeira ninfeta, sexy, cujo seus olhares provocantes conquistam Noah. A filha de Noah engasga com uma bolinha de gude e ele imediatamente a salva.

Alison parece não se importar com seu casamento e mesmo com uma família praticamente perfeita, Noah se deixa levar por essa jovem garota.

Parte 2: Alison

Alison (Ruth Wilson) é uma garçonete, casada e que perdeu seu filho Gabriel quando ele tinha 4 anos. Alison ainda não se recuperou do golpe. Praticamente vive em estado catatônico, sem esperanças de um dia superar a perda do filho. Um belo dia uma família chega até sua lanchonete. Uma garotinha engasga com uma bolinha de gude. Alison então presta socorro e salva a vida da garota. Noah é o pai dessa garota. Noah então a agradece. Ele é um homem cansado. Cansado de sua vida, de sua família. Alison percebe isso.

Alison também não vive seu melhor momento no casamento, mas ama seu marido e busca sempre a superação. Ela enxerga em Noah um homem diferente e suas constantes investidas acabam envolvendo Alison.

E no meio disso tudo, você

Notou algo estranho? Pois é… Estamos diante de uma maneira muito inteligente de se contar uma história de amor, traição, ciúmes, inveja, dor e perda. “The Affair” é divida exatamente entre o ponto de vista de Noah e o de Alison. Um constante choque de diferentes visões que um tem pelo outro, pelos que os cercam, pelos fatos e pelo mundo.

Provavelmente você já ouviu a frase “tem que ouvir os dois lados da história“. É uma das bases da justiça. E uma peça chave em “The Affair” é a presença de um detetive, que interroga ambos protagonistas no decorrer da série, em um futuro ainda não esclarecido. Aparentemente, o envolvimento de Noah e Alison resultou em algo terrível. Mas o que? Quem está certo? Alison? Noah?

Não fique surpreso caso sua mente passe a ficar paranóica com detalhes. É impossível, conforme a série avança, você não se prender nos detalhes que mudam quando os pontos de vistas trocam. Roupas, maneira de falar, manias, a expressão no rosto… até em partes técnicas como fotografia e trilhas sonoras. Instigante. Ousada. Única. Após assistir a “The Affair“, você nunca, nunca mais irá concordar 100% com uma pessoa quando ela te contar uma história.

Eu garanto.

O Homem Formiga monta uma vespa e ganha o primeiro trailer oficial

O mundo em uma escala menor

7 de janeiro de 2015

Ah, e dessa vez não precisa de lupa não…

Pronto. Ai está. O primeiro teaser trailer de “Homem Formiga“, filme que chega aos cinemas dia 17 de julho desse ano. O filme que abre a Fase 3 da Marvel.O filme que eu fiz minha previsão.

Paul Rudd é Scott Lang e Michael Douglas é Dr. Hank Pym. O universo Marvel terá uma escala menor a partir de julho, e se você achou BADASS um guaxinim portando um trabuco, espere só pra ver um cara montado em uma vespa. PODE VIR THANOS, AGORA NINGUÉM SEGURA OS VINGADORES!

Tim Maia, Globo e pqp, que confusão

Ao tentar esconder "mancada", Globo expõe ainda mais seu Rei

6 de janeiro de 2015

De cara já quero declarar que a melhor cinebiografia de artistas brasileiros é “Dois Filhos de Francisco“. Fim. Com a mesma estrutura de roteiro, parece que TODOS os outros cantores brasileiros viveram a mesma história. “Tim Maia” do diretor Mauro Lima (Meu Nome Não é Jhonny) é mais um caso.

Um filme que não serve como biografia (não é fiel nem mesmo ao livro que lhe deu origem), tem um elenco fraco e é só mais uma tragédia grega brasileira musical. ”Vi o filme do meu pai… Nossa, ruim… Contei 18 coisas que não fazem parte com a realidade” disse Leo Maia, filho do cantor, em sua conta no instagram.

Mas claro, é um bom entretenimento. O filme abusa dessa caricatura do Tim Maia sem meias palavras, beberrão, comilão e que se fudeu muito, mas muito pra deixar de vender marmitas. Parece um personagem inventado, de fato. E brasileiro em geral gosta de pessoas que são pobres e ficam muito ricas, mas que depois morrem ou voltam pra merda. Falta algo ao estilo “Inside Llewyn Davis” tupiniquim (veja esse filme).

Vi o filme no cinema, mas não me senti muito a vontade pra escrever sobre. Tudo porque não sou um profundo conhecedor da vida do Tim Maia, e vai que aparece algum fã estilo esses de quadrinhos pra dizer “VOCÊ NÃO PODE FALAR DO FILME SEM SABER DE BLÁ BLÁ BLÁ”. Enfim. Passou e eu sofri calado, porém a Globo resolveu começar 2015, o ano do seu cinquentenário, editando o filme e transformando-o em uma série, documentário, sei lá que diabos. E claro, deu merda. Eu até gostei de princípio até perceber que… puts!

Quem geralmente é queimado em praça pública são as bruxas, não um Rei. E a Globo se virou nos 30 e editou o filme pro Roberto Carlos sair como bom moço. Porém ninguém parou pra pensar que somente na estréia cerca de 200 mil pessoas assistiram ao filme, e claro, alguém iria notar a mudança em um dos pontos chaves do roteiro: a corrida de Tim em busca de uma ajuda de Roberto Carlos, que fez aquele favorzão de gravar uma música do Rei do Soul Brasileiro.

Deus perdoa. Tim Maia pode ter perdoado. Mas a internet não. Artigos e mais artigos começaram a pipocar, jornalistas que conhecem a fundo a cultura pop brasileira revelando mais alguns atos escrotinhos do Rei Global. E sobre a ideia brilhante da emissora, o próprio diretor Mauro Lima falou no instagram para os espectadores NÃO ASSISTIREM a minisérie.

Aos seguidores que não viram ‘Tim Maia’ no cinema sugiro que não assistam essa versão que vai ao ar hoje e amanhã na Globo. Trata-se de um subproduto que não escrevi daquele modo, nem dirigi ou editei

Pra fechar, a Globo retirou a “série” do seu catálogo online, onde assinantes podem assistir o conteúdo da emissora on demand. Algo inédito.

No papel de advogado do diabo, é meio óbvio que a Globo iria editar o filme. Roberto Carlos é uma de suas principais estrelas. Fim de ano sem um especial do Rei não é fim de ano (mesmo que você nunca tenha visto um… talvez quando criança). Por isso é importante você NUNCA abrir mão de ir ao bom e velho cinema.

E não se engane: outras cenas também foram cortadas do filme e substituídas por depoimentos. Sabe-se lá até que ponto eles são reais. “The Affair” (série foda, depois falo dela) me fará pra sempre suspeitar de ambos os lados de uma história. Pra fechar, um vídeo de 1989 no “Jô 11:30” onde Tim comenta sobre uma certa perseguição de um grupo de mídia…

Topo ^