As 4 coisas que marcaram “Street Fighter” em minha vida

O game nasceu comigo e está firme e forte até hoje =D

9 de setembro de 2014

Lá em 1987 (ano em que nasci, obrigado de nada) a Capcom resolveu traçar uma risca no chão, e dali pra frente a história dos arcades de lutas mudaria drasticamente. O precário, porém revolucionário “Street Fighter“, chegava ao mercado, e não levaria muito tempo dar ao Ryu o status de maior karateca de todos os tempos. Ao longo de 27 anos, o game se inovou e está presente em todas as mídias possíveis. Não quero bater o martelo (ainda temos MK), mas “Street Fighter” pode ser sim, considerado a maior e mais conhecida franquia de games de luta.

Durante minha infância, frequentei os mais diversos tipos de boteco em busca de fliperamas. ”Street Fighter II” sempre foi não só meu, mas o game favorito de toda molecada. Porém não foi apenas essa fantástica continuação que me fez sonhar com Ryu, mas sim, uma caralhada de coisas que tentarei listar aqui.

Street Fighter Alpha 2

Já fazia algum tempo que nenhuma novidade aparecia no Bar do Seu Zé, e a moçada estava se cansando de SFII, porém lá por 1995, chegou um fliperama novo, todo bonitão e com uma novidade: Street Fighter Alpha 2. Não bastou 2 fichas pra eu ficar completamente VICIADO no jogo, que estava recheado de personagens maneiros como Guy, Charlie, Birdie, Sodom, Adon e Rose.  Meu vício era tanto, que mesmo sem grana pra comprar ficha, eu ficava esperando alguém jogar só pra ficar do lado.

Foda quando era alguém que fumava e ficava aquela fumaça maldita. E só pra você se ligar como era punk a parada: OS FLIPERAMAS TINHAM CINZEIROS.

X-Men vs. Street Fighter

Não demorou muito e logo chegou o crossover que me fez pegar a grana do pão e trocar em fichas. PQP, “X-Men vs. Street Fighter” foi um soco na cara e não tinha como ficar longe desse jogo. Na época, o desenho dos X-Men passava em looping na Globo, e pra completar o vício, ainda tinha o anime de Street Fighter no SBT. AAH VÉI, COMO ERA FODA DAR OS ESPECIAIS, PQP!  Eu era muito apelão com a Tempestade, bastava ficar no cantinho soltando o furacão UAHUAHUAH…

Sem contar que esse crossover abriu as portas para o excelente “Marvel Vs Capcom” e trazia Apocalipse como chefão. Apelação puro com a FURADEIRA.

Street Fighter II Victory

DA RADUKI RYU

Mano… sériosamente, como eu AMAVA esse anime. Sério. Foi exibido no SBT por volta de 1996 e SÓ passava aos sábados, durante o “Sábado Animado“. Quantas manhãs frias e eu lá, esperando o Ryu aprender o HADOUKEN (demorou uma eternidade). O visual do desenho era foda, e a maneira como eles foram encaixando os personagens… ahhh meu deus, demais! Vega era meu favorito, principalmente por aquela cena que ele corta a língua de um touro e da pra Chun-Li. Outra cena inesquecível foi o Ryu aprendendo o HADOUKEN na praia, com aquela música de fundo. FODA!

Meu Ryu gigante

Quem me acompanha no twitter ou instagram, sabe que fiz uma aquisição maluca: comprei uma estátua na escala 1/3 do Ryu, que faz parte da edição de colecionador de Marvel Vs Capcom 3 e só foram feitas 500 no mundo todo. Eu queria, de certa forma, ter algo foda dessa série no meu escritório. Então resolvi chutar o balde e me presentear. Ele é lindo. Ele é demais. Ele é o RYU! A estátua é da LIMITED EDITION aqui de São Paulo, MAS que tem loja virtual (acessa ai e depois me conta).

E tudo isso é culpa do meu mano de bancada Pablo Peixoto, que mostrou a estátua no Qu4tro Coisas – Street Fighter.

Esqueci de alguma coisa?
Deixa ai nos comentários e tente responder a pergunta mais cruel de todas:

Street Fighter ou Mortal Kombat?

“Eden”, filme sobre o Daft Punk e a cena eletrônica francesa, ganha trailer

O filme mostra a ascensão do estilo através do DJ Sven Løve

8 de setembro de 2014

Os jovens Thomas Bangalter e Guy de Homem-Christo, o Daft Punk

Em meadas da década de 90 e início dos 2000, uma cena muito forte de música eletrônica nascia na França. E dela sairia o Daft Punk, com Thomas Bangalter e Guy de Homem-Christo, formando a dupla mais importante da e-music. E é um pouco dessa história que o filme “Eden“, filme exibido durante o Festival de Cinema de Toronto, irá contar. Além, claro, de outros nomes que surgiram na época, como Cassius e Air.

O roteiro trás o DJ Sven Løve como protagonista. A trilha sonora do filme conta com 40 músicas originais, sendo que muitas delas foram doadas, já que a compra dos direitos autorais é caríssima. Entre elas “Da Funk” e o clássico dos clássicos “One More Time“. Veja o trailer:

Eden” tem estréia prevista para 19 de novembro. Mas na França =/

20 anos de Cavaleiros do Zodíaco, 1994, Shazam e Sons Of Anarchy

Videocast Amigos do Fórum #06

8 de setembro de 2014

Olá amigos do fórum.

Era pra ser mais um dia comum, aquela quinta feira, 1º de setembro de 1994. Mas não foi, estreava Cavaleiros do Zodíaco, o maior anime que esse país já viu. Esse videocast é basicamente nossa maneira de dizer OBRIGADO! Porém 1994 não foi apenas o ano d’Os Cavaleiros, foi um ano MÁGICO. O que teve de melhor em cinema, séries, animes e música? Pra fechar, falamos sobre os vilões invertidos da DC e uma dica de amigo do fórum: Sons Of Anarchy, House e Coração Valente!

CDZ, 1994, Shazam e Sons Of Anarchy

Links comentados:

Pra conhecer:

>> CANAL AMIGOS DO FÓRUM
>> CANAL NERD RABUGENTO
>> CANAL QU4TRO COISAS

“Bom Dia & Cia.”, o último programa infantil da TV aberta: o que aconteceu?

No ar há 21 anos, programa é o último respiro do conteúdo infantil da TV aberta

7 de setembro de 2014

Em agosto de 1993, entrava no ar o “Bom Dia & Cia.“. A loirinha Eliana (na época com 20 anos) ao lado de Flitz, um computador falante, nos davam bom dia com um programa que misturava conteúdo educativo com desenhos animados. Eliana foi minha primeira paixão de criança, fui o que vocês chamam de FÃ. Sim, eu até escrevi CARTINHA pra Eliana mandando alguns desenhos meus.

Bom Dia & Cia.” foi apenas um dos vários programas infantis que, durante a década de 90 e início dos anos 2000, deixaram aquela manhã chata, que você estava doente e não poderia ir pra escola, bem mais animada. Ou então programas como “Disney Club” e a turma da TV Cruj que nos fazia deixar as brincadeiras de rua do lado, e correr pra TV às 18hrs.

Bom Dia & Cia.” no auge: desenhos, Melocoton, convidados e várias atrações

Eram vários. Listando alguns, tínhamos “Glub Glub“, “TV Globinho“, “Sábado Animado“, “Band Kids“, “Eliana & Alegria” e por aí vai. É difícil encontrar alguma criança da década de 90 ou começo dos 2000, que não tenha uma apresentadora marcada em seu coração. A diferença entre programas infantis para sessões de desenho, era justamente a presença delas, que traziam outras atrações além dos desenhos. É claro, todo mundo aqui gostava de “O Fantástico Mundo de Bobby“, “Thundercats“, “Super Patos” e “Dragon Ball“, mas a presença de uma apresentadora, fazendo algumas firulas entre um atração de outra, era fundamental. Vai dizer que você não gostava das aulas de Educação Artística da Eliana?

O fato é que hoje, se você zapear pelas emissoras abertas durante a manhã, irá encontrar o Britto Jr. com notícias urgentíssimas sobre alguma celebridade, a Fátima Bernardes falando sobre selfies e o João Kléber prestes a revelar um segredo. Não existe mais programação infantil na tv aberta, o último pilar, que se mantém em pé há 21 anos, sendo que nos últimos 10, já perdeu metade da audiência, é “Bom Dia & Cia.” do SBT, que está sozinho nesse mar de chorume que se tornou nossas manhãs.

Não se sabe exatamente quem seria o responsável por uma queda tão brusca ao longo dos anos, mas se é que exista um ÚNICO. Internet, serviços como NetFlix, maior acesso a tv a cabo e, como aponta a ex apresentadora Jackeline Petkovic, em entrevista ao UOL, o programa “engessou, parou no tempo“. O que era interessante pra nós aos 7 anos de idade, não é mais interessante pra molecada? Mudou tanto assim? Também ao UOL, Beth Carmona, que foi ninguém menos que a diretora de programação da TV Cultura, durante o auge do Castelo Rá-Tim-Bum e outros trocentos programas, diz que o público infantil se tornou desinteressante para os anunciantes, e a tv aberta já não quer mais investir.

TV Globinho: Dragon Ball Z, Yu-Gi-Oh!, Bey Blade, Digimon…

É uma pena que crianças cujo os pais não possuem condições de ter um tablet com internet, ou assinatura de tv a cabo, fiquem sem uma programação matinal educativa e interessante. Aparentemente, nossa geração foi a última que teve opções de programação nas quatro principais tvs abertas. Saem as apresentadoras fofinhas e entram os plays de youtube e serviços de streaming. Quem perde com isso? Não sei, mas eu certamente não trocaria a Eliana me ensinando a usar tesoura sem ponta por nada…

Adolescência tem gosto de menta

"Cara, como tá meu hálito?"

5 de setembro de 2014

Imagina você tá na balada e chega a boquinha do Michel Teló te mandando escovar os dentes?
Melhor fazer isso antes de sair de casa.

Confesso que sempre tive certas dificuldades em ser mais sociável em baladas. Minha vibe sempre foi boteco, mas claro, na adolescência, acompanhava meus amigos em vários rolês malucos pela noite. É fato que, além de ser um bastante muito demais pouco tímido, sempre fui meio paranoico com meu hálito. Ainda mais depois que você bebe um pouco de cerveja e né… não vai chegar na garota que você tanto curte baforando igual um membro da SAMCRO.

Eu costumo dizer que adolescência tem gosto de MENTA. Seja bala, chiclete, creme dental ou antisséptico. Qualquer adolescente (com o mínimo de cuidado) “devorou” menta antes de, como dizem lá no interior, “ir pro combate”. E confesse, você muitas vezes pediu pro seu amigo dar aquela conferida no seu hálito…

Nessa ideia, Oral-B trouxe novamente as boquinhas de Michel Teló e Rodrigo Faro pra cantar -e contar- um pouco da história de milhões de brasileirinhos que estão ai tentando um lugar ao Sol. Mas com hálito fresco, plmdds…

O dia que me desapeguei de “As Crônicas de Gelo e Fogo”

É possível um colecionador se desapegar? Eu consegui

3 de setembro de 2014

Como os amigos do fórum já perceberam, seja através de fotos no instagram ou esse vídeo aqui, sou um ACUMULADOR COMPULSIVO. Adoro guardas coisas e mais coisas, e sempre que vou organizar a bagunça percebo a quantidade brinquedos, dvds, livros e etc que não uso/leio/vejo há ANOS.

Dia desses o pessoal da OLX me convidou pra me desapegar de alguma coisa. E confesso que não foi fácil, mas eu procurei com muito carinho nas prateleiras do meu escritório e lembrei dos dois primeiros livros de “As Crônicas de Gelo e Fogo“: Guerra dos Trones e A Fúria dos Reis (responsáveis pelas duas primeiras temporadas da série, inclusive). Ganhei esses livros em 2011 e estão ali guardados… esperando o inverno chegar.

“e pela primeira vez em centenas de anos a noite ganhou vida com a música dos dragões” (trecho do livro Crônicas de Gelo e Fogo: a Guerra dos Tronos

São dois livros especiais e importantes, me ajudaram a entender melhor esse universo fantástico de George R.R. Martin. E como eu confio na OLX (ativa desde 2006 e mais de 16 milhões de usuários únicos mensais), resolvi participar essa campanha de “Desapegar é só começar“.

O bacana é que não tem mistérios. Em menos de 5 MINUTOS eu já tinha criado o anúncio, via celular mesmo. O processo é muito simples e 100% gratuito. Aqui tem o APP para iOS, mas o esquema é o mesmo para Android. Gostei tanto (sério) que em breve colocarei alguns action figures pra vender, digo, desapegar.

UPDATE: o livro foi vendido para o amigo do fórum Fernando Lopes

COMPRE as duas primeiras edições de Crônicas de Gelo e Fogo: a Guerra dos Tronos

Então, é possível um colecionador se desapegar?
É SIM!

Topo ^