Tela clássica de CONTINUE em Street Fighter II vira estatuetas! PQP QUE FODA!

Droga de vida adulta onde contas são prioridades...

27 de julho de 2015

Tem muita gente que não entende porque adultos gastam dinheiros em action figures. É um prazer difícil de explicar (não que eu esteja muito afim também), mas basicamente é divertido ter em seu quarto, escritório, sala etc alguma coisa física que represente alguma obra que marcou sua vida ou fez parte dela.

Eu tenho vários bonecos e alguns tenho um carinho enorme, como minha estátua do Ryu ou meus bonecos do Narutinho. Acontece que quando se é adulto sua vida tem que girar em torno de pagar contas ou investir no futuro. Ah mano, deixa eu ter uns bonecos em paz, vai.

O maneiro de colecionar é quando você encontra coisas criativas que vão além do básico. Essa linha de estatuetas de Street Fighter II é um exemplo. Quem jogou nos fliperamas da vida lembra da tela de CONTINUE que aparecia sempre que você perdia, com o jogador todo surrado esperando você colocar mais uma ficha e continuar o jogo.

As peças foram lançadas durante a feira Wonder Festival 2015 no Japão.
Cara, me diz uma coisa… como você consegue continuar pensando em conta de água, luz e telefone com umas paradinhas assim?

A importância de uma série como a Supergirl

Ação levou várias garotinhas para assistirem ao piloto. Eis que...

27 de julho de 2015

Quando saiu aquele trailer que mais parecia um resumão do piloto de Supergirl, deixei aqui no blog algumas breves considerações. Não é novidade pra você que acessa o Amigos do Fórum com regularidade que eu não sou fã dessas séries teens com heróis protagonistas.

A fórmula não funciona pra mim. Não tenho mais idade pra assistir um drama adolescente de superação e nenhum apelo emocional com o personagem, já que quadrinhos não fizeram parte da minha infância.

Mas o mundo não gira em torno do meu umbigo e graças a deus a indústria do entretenimento não se baseia em gosto pessoal de ninguém. Da mesma forma que não consigo ver um episódio inteiro de Flash, duvido muito que meu sobrinho de 11 anos iria conseguir ficar 5 minutos na frente da TV vendo The Wire.

Claro que Supergirl tem seus problemas, mas essa série que ainda nem estreou já se mostra totalmente necessária e com uma importância gigantesca nessa coisa de diversidade. Esse vídeo mostra isso: uma ação reuniu mães e filhas para ver o piloto da série, eis que a Melissa Benoist apareceu de surpresa e fez a festa com a meninada. É muito lindo ver as garotinhas ali sonhando com sua heroína favorita.

Que a Supergirl seja assim na tv: bobinha pro adulto babão, mas uma maneira de sonhar para as garotas (e garotos, claro).
A série estréia dia 26 de outubro.

Você é fã do Adam Sandler?

Sim, você mesmo!

26 de julho de 2015

Depois dos mais variados comentários sobre meu pequeno texto sobre Pixels, resolvi levar o debate para o youtube. Afinal, você gosta do Adam Sandler? Você ainda ri do Adam Sandler? Seria Adam Sandler um messias do humor? Teria eu um coração de pedra? Ou como alguém comentou, o simples fato de eu ser gordo me impede de gostar dele?

Bom. Vamos lá bater um papo no VLOG DO FÓRUM.

Pacific Rim 2 tem que ter é porrada de robô gigante, não draminha

Charlie Hunnam achou que o filme não se aprofundou nos personagens

24 de julho de 2015

Pacific Rim é um filme tão foda que eu sai do cinema querendo passar em uma loja de brinquedos, comprar uns robôs e dormir abraçado com eles pro resto do ano. Assisti ao filme em iMAX 3D e até hoje foi uma das melhores experiências que tive. Foi inesquecível ver aquela puta homenagem do Del Toro para os tokusatsu japoneses que a gente cresceu amando.

Mas é caro fazer um filme com tantos efeitos especiais fodões, então pra encher linguiça, o Del Toro colocou o Charlie Hunnam sofrendo porque perdeu o irmão, o Idris Elba e a Rinko Kikuchi com problemas de pai e filha e aqueles cientistas do Bing Bang Theory.

É claro que em um filme onde se tem a porra da GIPSY DANGER COM UM SOCO FOGUETE nenhum humano poderia brilhar mais. Mas o Charlie Hunnam discorda. Ele acha que o filme pesou no espetáculo e deixou a história de lado….

CHARLIE HUNNAM VAI EMBORA DO AMÉRICA!

Ele foi capa da EW dessa semana. O ator viverá o Rei Arthur em mais um filme, e aproveitou para falar sobre Pacific Rim. Na cabeça desse cidadão, o filme tem que ter menos efeitos especiais e mais história:

Acho que a criação de um mundo, a criação de monstros e todas essas coisas é emocionante como um elemento secundário na hora de contar uma história. Quando isso se torna mais importante do que a trama, eu fico bastante nervoso e você meio que me perde um pouco“. E completou: “Eu espero que possamos remediar isso no segundo filme… acho que poderíamos ter se aprofundado um pouco mais no meu personagem e em outras histórias”.

“AINNN COMO EU SOFRO”

Eu já penso o contrário…

Quanto menos Charlie Hunnam e mais GIPSY DANGER COM UM SOCO FOGUETE, melhor. Pacific Rim 2 começa a ser rodado em novembro e tem estréia prevista para abril de 2017.

Até lá, sugiro ao Jax do Sons Of Anarchy dar uma lida nesse post aqui!

 

Você está gostando dessa temporada de True Detective?

"Other Lives" (S02E05) é um bom episódio focado em seus detetives, mas fica a pergunta

24 de julho de 2015

Mais alguém aqui fica com pena da cantora desse bar tocando pra ninguém?

Sinceramente não me lembro direito da trama da primeira temporada de True Detective. Não fiquei impaciente pra descobrir o que existia de tão misterioso assim por trás da morte de Dora Lange. Gostava mesmo era quando o Marty e o Cohle ficavam filosofando bobagens e aos poucos íamos entrando na mente deles. Ou tentando.

True Detective tem dessas. Enquanto os detetives tentam solucionar um crime, você tenta solucionar os detetives. É uma imersão deliciosa de fazer, afinal, não existe nada de mais sagrado em uma série que seus personagens. Assim como o câncer de Walter White foi só o start para tudo que aconteceu em Breaking Bad, a morte de Caspere também é para True Detective.

Essa semana circulou pela internet um texto que tenta explicar a trama da investigação para quem não entendeu. Realmente não sei se essa é a ideia da série. Mesmo às vezes ficando confuso, mais ou menos você consegue se ligar no que tá rolando. E na boa, tá ótimo.

Nesse quinto episódio de segundo ano, tivemos as consequências do intenso tiroteio. Ok, ok… em uma cena tão bem construída os únicos sobreviventes serem nossos três protagonistas foi uma pisada de bola, mas pelo menos deixou sequelas. Velcoro se demitiu e agora trabalha oficialmente para Frank, Ani foi rebaixada e Paul… bom, o Paul subiu de cargo.

Aí o que acontece é exatamente o que aconteceu na primeira temporada: passa-se um certo tempo e o caso que foi encerrado volta a ser investigado. Está óbvio que a morte de Caspere envolve muito peixe grande, e esse cardume foi quem colocou panos quentes por cima do tiroteio.

Velcoro continua o melhor personagem dessa temporada, ainda mais agora que ele descobre que caiu em uma armadilha de Frank. Saudades apenas do seu bigode badass, mas a gente supera. Continuo gostando de Vince Vaughn como Frank e é de seu personagem a melhor fala dessa temporada:

Eu nasci alistado do lado errado de uma guerra de classes

Muita gente vem torcendo o nariz pra ele. Pode ser pelo próprio histórico de Vince, mas acredito que dessa vez é o próprio roteiro que vem bagunçando a cabeça da moçada.

Como disse lá em cima, entender 100% da trama não te fará gostar ou odiar mais a série, mas quando se trabalha quatro personalidades ao mesmo tempo às coisas podem não fluir tão perfeitamente. Mas não da pra reclamar. True Detective é corajosa e somente dentro da HBO Nic Pizzolatto teria tanta liberdade assim.

Enfim. O título desse post é sim uma pergunta pra você leitor: está gostando dessa temporada?

PIXELS: ô cara ruim esse Adam Sandler, hein?

Impressionante como uma ÚNICA pessoa pode CAGAR um filme com uma ideia até que boa

23 de julho de 2015

Em 2010 um sujeito chamado Patrick Jean lançou um curta metragem chamado “PIXELS“, que mostra como seria uma invasão dos clássicos arcades em nosso mundo. O vídeo viralizou, todo mundo adorou, saiu em tudo quanto é canto. Ai o que era pra ser uma coisa pequena e divertida, acabou se transformando em longa metragem com ninguém menos que Chris Columbus na direção. Sim, o cara que escreveu Goonies e dirigiu Esqueceram de Mim.

Porém resolveram chamar um certo cidadão pra deixar o filme com uma cara mais engraçadona. Pois é, ele mesmo, o mito Adam Sandler. Pixels poderia ser uma baita homenagem a década de 80, cheio de referências, uma trilha sonora foda como de Guardiões da Galáxia com um roteiro bobo e divertido. Mas é impressionante como apenas um ser humano de carne osso consegue ofuscar até mesmo o Pac Man pixelizado.

Ao invés de sair de uma tv velha como no curta, os “pixels” são usados como armas por uma raça alienígena que entendeu errado uma mensagem aqui da Terra enviada em 1982. E como não pra fazer um filme só com personagens 8bits destruindo a cidade, chamaram o Adam Sandler pra preencher o espaço.

O cara é tão problemático que o começo do filme onde mostra sua versão infantil é bem bacana. Deu uma puta saudade de jogar fliperama, de como aquilo era o ponto de encontro da molecada e a gente levava a sério essa coisa de ser o melhor. Até esse momento realmente parece um filme e do Columbus, mas depois…

E cara, como esse maluco é ruim. Aqui ele interpreta o estereótipo do nerd muito usado nos 80: fracassado, em um emprego merda, mas que de alguma maneira possuiu uma habilidade que mais ninguém na Terra possui, e no final encontra uma namoradinha. Sandler não parece um sujeito que se esforça pra atuar, ele simplesmente deve entrar no set e gravar sendo ele mesmo.

Pixels poderia investir mais na caricatura dos anos 80, não na de Adam Sandler e estereótipos nerds que a gente já cansou de ver.
Os efeitos são bacanas e tem muito joguinho ali que só quem viveu a glória dos fliperamas vai reconhecer.

De qualquer forma, a o curta original ainda se encontra na internet e você pode assisti-lo agora:

E o mundo ainda prefere DINOSSAUROS a super heróis e carros tunados

Jurassic World deixou Velozes & Furiosos comendo poeira e está a "apenas" 6 milhões de Vingadores

22 de julho de 2015

Quando foi lançado em 1993 Jurassic Park se tornou a maior bilheteria da história do cinema, permanecendo no topo até 1997 quando James Cameron afundaria novamente o Titanic, mas dessa vez com o Leonardo Di Caprio dentro. Com o passar dos anos cada vez mais blockbusters atingiriam a casa do bilhão, e nossos queridos gigantes jurássicos acabaram caindo para a décima oitava posição do ranking.

Mas o T-Rex merecia um lugar mais alto no pódio, e até o fim dessa semana elepode ficar com o bronze graças a Jurassic World. O filme já arrecadou US$1,513.5 bilhão em bilheterias e deixou Vin Diesel com seus carros tunados comendo poeira. O próximo alvo são os maiores heróis da Terra: Os Vingadores de 2012 está na terceira posição com apenas 6 milhões de dólares a mais. Ou seja, é praticamente certo que JW se torne a terceira maior arrecadação da história do cinema, ficando atrás somente das absurdas bilheterias de Avatar (2,8 bilhões) e Titanic (2,2 bilhões).

Quem está com um sorriso de orelha a orelha é a Universal, já que 2015 tem sido um ano inacreditável para o estúdio. Além Jurassic World e Velozes 7, o estúdio ainda tem Minions chegando na casa dos 700 milhões de dólares.

E assim esse ano vai aos poucos entrando para a história da indústria como um dos mais lucrativos e também aquele que terá mais filmes alcançando a casa do bilhão. JW e V7 estão no topo seguido por Vingadores: Era de Ultron com 1,3 bi. E para o fim do ano ainda temos o último filme da saga Jogos Vorazes e Star Wars VII.

2015 pode fechar com 5 filme bilionários e superar 2012 com 3 (007 Skyfall, Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge e O Hobbit). É um ano de recordes onde o grito do T-Rex botou pra correr todo mundo.

Topo ^