Ok. Agora eu também quero brincar de “Pacific Rim”

MEU.DEUS.EU.QUERO

29 de maio de 2014

Pacific Rim, o filme que faz lembrar o quanto é maneiro ser criança, e mostra que não existe mais épico no mundo que Robôs Gigantes lutando contra Monstros Gigantes. Já vi esse filme umas 10 vezes, meu blu-ray está até furando. Eu sonho todas as noite em pilotar um jaeger. Mas infelizmente nossos governos estão preocupados com questões menores, como erradicar a fome, ao invés de se preocupar em construir um Gipsy Danger

Enquanto isso, algumas pessoas se viram como podem, e essa galera se virou muito bem. Reuniram a turminha e criaram cosplays ÉPICOS de Pacific Rim. MANO, EU TAMBÉM QUERO!

Que turminha divertida!
Que turminha do barulho!
Quero andar com eles no recreio…

Ah, também tem um vídeo deles simulando uma batalha em Gipsy Danger e Leatherback.

“X-Men: o filme” – há 14 anos atrás o mercado cinematográfico mudava

Foi graças aos mutantes que você, humano, assiste seus heróis favoritos nos cinemas

29 de maio de 2014

O ano é 2000. Em uma sexta feira fui até a única locadora da minha cidade e peguei a VHS de “X-Men: o filme“. Ainda não entendia muito bem como os heróis daquela série animada da década de 90 foram parar no cinema em uma versão live action, mas mesmo assim aluguei. E como todos sabem, alugar VHS na sexta feira tinha desconto e você só devolvia na segunda.


X-Men de 2000: sim, era possível

No fim de semana, assisti ao filme, no mínimo, umas 10 vezes. Eu fiquei tão maluco que pausava as cenas pra tentar imitar os golpes. Eu tinha 13 anos. Não da pra negar que foi um marco no meu início de adolescência, mas muito maior do que isso, “X-Men: o filme” de Bryan Singer foi um marco no cinema. E hoje se você assiste ao Homem De Ferro contando piadinhas em “Os Vingadores” ou aplaude o Nolan em pé com a trilogia Batman, sabia que foram os mutantes lá no início do século que transformaram a indústria cinematográfica. Ao menos no que diz respeito a blockbusters de heróis.

Se hoje você adora o Homem de Ferro nos cinema, a culpa é dos mutantes

Por mais que alguns apontem “Blade” de 1998 como o pontapé inicial, os créditos dessa empreitada milionária de adaptar heróis dos quadrinhos para o cinema vão para “X-Men“. Por que? Porque Blade era um herói tão desconhecido que, possivelmente, as pessoas foram ao cinema ver um filme de caçador de vampiros. Já “X-Men não, a fama dessa moçada era GIGANTE. Seja nos quadrinhos ou nos desenhos animados. “X-Men” foi um sucesso estrondoso (lucrou quase 200 milhões de dólares) e deu início a todos esses universos fantásticos de heróis que a gente tem o prazer de assistir TODO.SANTO.ANO.


O jovem diretor Bryan Singer

Pra entender como tudo começou, é preciso voltar até a segunda metade da década de 90, quando a Marvel vivia uma crise. Assistindo a falência de algumas editoras, a Marvel resolveu vender os direitos de alguns de seus maiores heróis para diversas produtoras, afim de ganhar algum em cima de um possível sucesso. É por isso que, dificilmente, você irá ver o Homem Aranha lutando lado a lado d’Os Vingadores. Pra entender melhor, ficou assim:

20th Century Fox
- X-Men
- Quarteto Fantástio
Sony Pictures
- Homem-Aranha

E alguns anos após a compra dos direitos, a FOX mostra ao mundo o que uma boa produção pode fazer: dar vida aos quadrinhos. Com um elenco que seria imortalizado, como Hugh Jackman e Sir Ian McKellen, o filme foi um sucesso de bilheteria. Foi quando várias outras adaptações começaram a surgir, e dois anos depois, a Sony lança “Homem Aranha” que arrecada mais de 800 milhões de dólares. Pronto. Está decretada um novo gênero de filmes: os blockbusters de heróis. O resto da história você já sabe, com “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge“, “Os Vingadores” e “Iron Man 3” arrecadando mais de 1 bilhão cada.

É claro que tamanho sucesso é culpa direta da treta entre Charles Xavier e Magneto. E é bom ver que, 14 anos depois, a franquia continua mais viva do que nunca com “X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido“. Como eu disse lá na resenha do filme: vida longa aos mutantes!

Os três núcleos insuportáveis de Game Of Thrones

Na minha humilde opinião, claro

27 de maio de 2014

A quarta temporada de Game Of Thrones está chegando perto do seu desfecho. Faltam 3 episódios pra uma temporada considerada MORNA por alguns chegar ao fim, e selando de vez os acontecimentos do terceiro livro, o qual serviu de base não apenas a quarta, mas também a terceira temporada. Particularmente estou adorando essa temporada, o núcleo Lannister não me decepcionou e dois dos meus personagens favoritos foram bem explorados (Tywin e Cersei).

MAS nem tudo são flores e alguns “núcleos” estão bem chatos de acompanhar, não apenas nessa temporada, mas na sua antecessora. Então resolvi falar um pouco sobre eles, levando em condieração que NÃO, eu não li os livros. Ou seja: se esses personagens são fodas no livro é ooooouuuutra história.

Bran Stark e o vai não vai

Sério. Não aguento mais esse moleque andando rumo ao nada. Já são duas longas temporadas que ele e o casal de irmãos mais chatos de Westeros estão indo de um lado pro outro sem chegar a lugar nenhum. Essa história de warg parece interessante, mas é tão arrastada e sem sal que eu já quase quero que Bran vá se juntar a seus pais e irmão mais velho.

Theon Greyjoy e a dor não é passageira

Resumindo Theon Greyjoy nas últimas duas temporadas “ahhhhhh, aiinnnn“. Precisa mesmo colocar o cara se fudendo durante 20 episódios? Eu estava na esperança de alguma redenção nessa quarta temporada ou então o cara ser resgatado pela irmã, mas pqp, que tristeza de resgate foi aquele?

No final da terceira temporada ela faz aquele discurso “VOU PEGAR OS MAIORES ASSASSINOS OS MELHORES BARCOS E IR AJUDAR MEU IRMÃO E RESGATAR SUA HONRA NÃO SEI O QUE” ai ok, resolvem mostrar a moça lá na metade da quarta temporada e depois de TANTO esforço ela simplesmente DESISTE. “Meu irmão não é mais o mesmoCARALHO VOCÊ ESPERAVA O QUE? O maluco foi esfolado durante uma temporada INTEIRA, cortaram o pau, o dedo, tiraram dente, e você queria que ele estivesse como? SORRINDO? Te recebesse com um abraço? Nossa que ódio desses irmãos.

Stannis Baratheon, o chorão de Westeros

ainnn eu quero meu trono, me da meu trono, EU QUERO EU QUERO ainnnnnnnnnnnn“. Porra, Stannis! Ouvi dizer que você é mó badass nos livros e na série está há 3 malditas temporadas CHORANDO e fazendo BIRRA com essa bosta de trono! CARA DESISTE DESSA MERDA e vira fazendeiro! Deixa os Lannisters criarem raiz naquele trono, vai fazer outra coisa! Pescar seria uma boa!

Quando o núcleo do Stannis aparece pra roubar 5 minutos que poderiam ser dedicados ao Tywin Lannister, fazendo discurso de como levar o nome da família para as próximas gerações, eu já começo a querer dormir. Stannis não faz NADA além de reclamar e chorar. Birrento ao extremo. Sor Davos é o único personagem maneiro no meio de tanta birra e bruxaria.

ENFIM.
Vocês que são intelectuais e leram os livros, por favor, me contem como esses personagens são por lá.
Ou melhor: contem como Bran, Theon e Stannis estariam na série se ela fosse 100% baseada no livro.

No mais muito obrigado e matem logo aqueles irmãos chatos.

Olha os Cavaleiros de Ouro no novo teaser de “CDZ – A Lenda do Santuário”

Ai, cara...

26 de maio de 2014

Saga, Máscara da Morte, Shaka, Aiolia e Aioros:

Shaka, Milo e Camus:

Shura, Afrodite, Mu e Aldebaran:


E esse bigode de pedreiro, hein Máscara da Morte?
Aioros voando igual um pássaro? Finalmente as asas serviram pra alguma coisa…

Ah, pra falar que eu só reclamo, gostei das armaduras fazendo aquele barulho de ferro e tal. Loco. No mais, é preciso se acostumar com essa nova pegada. “Cavaleiros do Zodíaco – A Lenda do Santuário” chega aos cinemas brasileiros dia 11 de setembro.

Gente vamos parar o bullying com o Godzilla

Vou chamar o Serginho Groisman...

26 de maio de 2014

Ao longo de 60 anos, Godzilla cresceu cerca de 100 metros

Quando o Rei dos Monstros surgiu lá na década de 50, ele tinha “apenas” 50-e-uns-quebrados metros. Ao passar do tempo, ele foi crescendo cheio de emoção e se tornando cada vez maior, e maior, e maior… o gráfico abaixo mostra essa evolução de Godzilla através das décadas e dos filmes:

Eis que em 2014 nosso querido monstro chega a casa dos 100, 120, 150 metros (não da pra ter uma certeza do seu tamanho). PORÉM na década da boa forma onde fotos de comidas no instagram deram lugar a receitas ligth e pessoas que fazem academia são os novos filósofos com seus discursos motivacionais, a gordurinha a mais do monstro chamou a atenção. Só que cara, isso é bullying! Já pararam pra pensar em como ele se sente? Essa ilustradora sim:


Bullying: é hora de falar sobre isso.

Vocês estão acostumados com aquele “Godzilla” de 1998 que parecia uma largatixa… Godzilla de 2014: o melhor Godzilla. Esperando o 2 pra ver se ele aparece por mais 10 minutos.

Sabe o que aconteceria se a Disney comprasse Game Of Thrones?

Daenerys, melhor Princesa Disney

22 de maio de 2014

Em um trabalho fantástico de ilustração, o brasileiro Fernando Mendonça adaptou os personagens de Game Of Thrones ao estilo Disney. O trampo ficou tão bom que eu já estou sonhando em uma animação da Princesa Daenerys e outra do Cão de Caça & Arya.

Bran & Hodor

Cersei Lannister

Tyrion Lanniser

Daenerys Targaryan

João das Neves

FANTÁSTICO!

Topo ^