O Jardim das Aflições vence como Melhor Filme no festival que sofreu boicote

Filme venceu pelo Júri e por voto popular.

Luide
Luide
4 de julho de 2017

Em maio sete diretores retiraram seus filmes do Cine PE após a entrada de O Jardim das Aflições e Real – O Plano Por Trás da História na competição. Segundo eles, as obras favorecerem “um discurso partidário alinhado à direita conservadora e grupos que compactuam e financiaram o golpe ao Estado Democrático de Direito ocorrido no Brasil em 2016“. O festival teve que ser cancelado.

Não foi a primeira polêmica que o filme se envolveu. Em 2016, O Jardim das Aflições foi negado nos festivais de Gramado e do Rio, mas até aí, o diretor Josias Teófilo encarou com uma certa naturalidade, mas foi quando o boicote ficou explícito que a coisa mudou de figura e isso foi usado a seu favor. Um marketing gratuito.

Distribuído em apenas 9 salas no Brasil, O Jardim das Aflições já atraiu mais de 10 mil pessoas.

Os números estão disponíveis no site da Ancine.

Apesar do número dar a impressão que estamos diante de um fracasso, é bom lembrar que falamos de um documentário em exibição em pouquíssimas salas.

Pra coroar sua jornada, O Jardim das Aflições se sagrou vencedor do festival que foi boicotado, levando o prêmio de Melhor Filme, tanto pelo júri quanto pelo voto popular. Confira a lista abaixo:

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS:

Melhor Filme: O Jardim das Aflições (PE), de Josias Teófilo
Melhor Direção: Edu Felistoque, por Toro (SP)
Melhor Roteiro: Edu Felistoque, Julio Meloni, por Toro (SP)
Melhor Fotografia: Alex Lopes, João Atala, Raul Salas, Natalia Sahlit e Inti Briones, por O Crime da Gávea (RJ)
Melhor Montagem: Matheus Bazzo e Daniel Aragão, por O Jardim das Aflições (PE)
Melhor edição de som: Guilherme Picolo e Lucas Costabile, por Toro (SP)
Melhor Trilha Sonora: Los Leones (MG)
Melhor Direção de Arte: Lúcia Quental, por O Crime da Gávea (RJ)
Melhor Ator Coadjuvante: Rodrigo Lampi, por Toro (SP)
Melhor Atriz Coadjuvante : Aline Fanju, por O Crime da Gávea (RJ)
Melhor Ator: Mário Bortolotto, por Borrasca (SP)
Melhor Atriz: Simone Spoladore, por O Crime da Gávea (RJ)
Júri popular: O Jardim das Aflições (PE), Josias Teófilo
Prêmio da crítica: Los Leones (MG), André Lage