Internet terrível do Brasil pode trazer versão offline da Netflix

Empresa enfrenta problemas de terceiro mundo em sua expansão

Luide
Luide
3 de novembro de 2016

Há algum tempo se especula a possibilidade da Netflix finalmente liberar o consumo de seu catálogo através da opção offline. Basicamente igual ao Spotify e a versão paga do Youtube já fazem. Porém o serviço de streaming sempre se posicionou contra essa ferramenta, alegando que oferece um produto rápido, e que uma conexão decente de internet é mais do que suficiente para uma experiência satisfatória dentro da Netflix.

Acontece que a empresa se portava assim pois estava presente em países de primeiro mundo, onde uma internet rápida é realidade há um bom tempo. Porém sua expansão global (já são mais de 180 países e territórios) revelou a Netflix um problema que nós, habitantes do terceiro mundo, sofremos: péssima conexão com a internet. Uma coisa é rodar FULL HD 4 lá em New York, a outra é tentar fazer o mesmo em Salto do Itararé, interior do Paraná. Aqui se paga caríssimo para ter acesso a uma conexão medíocre.

Em junho de 2016, a Netflix divulgou uma pesquisa de qualidade das conexões nos países onde opera. O Brasil ficou entre as 10 piores conexões do mundo, atrás de vizinhos como Uruguai e Chile. E essa barreira tecnologia é uma das pedras no calo da empresa, que obviamente, quer chegar a cada vez mais e mais assinantes.

Com isso, o que era assunto proibido voltou a ser discutido. Durante o lançamento de The Crown, nova série original Netflix, o chefe de conteúdo Ted Sarandos acabou respondendo a perguntas sobre a função offline.

Falamos sobre isso por anos e acreditamos que banda larga e Wi-Fi se tornam mais presentes, disponíveis em cada vez mais lugares que você frequenta. Agora que chegamos à novos territórios, percebemos que eles tem conexões e velocidades diferentes, assim esses países desenvolvem um hábito de fazer mais downloads. Por isso, [disponibilizar conteúdo offline] se torna mais interessante nesses países

O que ele quis dizer é: “pqp, colocamos os pés no terceiro mundo e agora precisamos lidar com isso“. E se por aqui você sofre pra assistir Netflix toda vez que chove, ou em horários de pico é praticamente impossível, a boa notícia nisso tudo é que o Brasil pode ser um dos beneficiados com a função offline.

Quem diria?

Posts Relacionados
  • 16/11/2016

  • Luide

A Netflix finalmente terá um oponente a altura

  • 15/11/2016

  • Luide

Juiz autoriza que Brendan Dassey, de “Making A Murderer”, saia da prisão

  • 03/11/2016

  • Luide

The Walking Dead muda de horário e passa a ser exibido MEIA NOITE E MEIA de segunda na FOX