Better Call Saul e o retorno de Gus Fring

O retorno do maior vilão de Breaking Bad. Depois de Walter...

Luide
Luide
9 de março de 2017

Ai, ai… lá vamos nós para o terceiro ano de Better Call Saul e realmente não sei mais o que pensar sobre essa série. De início imaginei uma pegada totalmente diferente, com episódios até mesmo procedurais mostrando toda a versatilidade do advogado em situações bizarras e extremas. Afinal, foi isso que aprendemos a gostar no personagem.

Mas aconteceu o famoso choque de interesses. Vince Gilligan e Peter Gould partiram pra uma narrativa mais dramática, explorando a queda moral da figura de Jimmy, quase um remake da jornada de Walter White.

O lado ruim nessa história é o aparelhamento com Breaking Bad. É óbvio que fica impossível fugir das tantas referências a série mãe, porém, se basear em uma “notalgia” um tanto recente é complicado. Impede a série de fluir por si mesmo.

Apesar de tudo…

Gilligan e Bob Odenkirk nos bastidores do terceiro ano

Better Call Saul consegue entregar episódios a altura de Breaking Bad sempre que Vince Gilligan assume a direção. Só por isso a série já vale a nossa atenção.

O terceiro ano estreia na AMC gringa dia 10 de abril, chegando na Netflix Brasil já no dia 11. E pelo primeira promo divulgada, a série promete ter um pouco mais de tensão na história, tudo graças a armadilha que Chuck criou e o surgimento de Gus Fring, um dos melhores vilões da história da televisão.

Posts Relacionados
  • 17/05/2017

  • Luide

Walter White poderia ter evitado sua própria tragédia em Breaking Bad

  • 16/05/2017

  • Luide

É difícil assistir The Handmaid’s Tale. Mas é preciso

  • 11/05/2017

  • Luide

Gemma Teller, a mãe que você não gostaria de ter (ou já tenha)