Como Transformers: O Último Cavaleiro parece ser um filme diferente a cada trailer

Até mesmo nos trailers Michael Bay não se preocupa em vender uma história

Luide
Luide
12 de abril de 2017

Michael Bay figura no topo da lista de diretores odiados mais bem sucedidos do cinema. Para cada crítica negativa que Transformers recebe, 100 milhões em bilheteria entram na conta da Paramout, que esse ano aposta em um quinto filme de uma franquia que pode chegar a um total de 14. “Há 14 filmes escritos e há coisa boa” disse o cineasta em entrevista à MTV.

Pensando a longo prazo foi criada uma sala de roteiristas onde não apenas Bay, mas outros profissionais estão empenhados em dar coesão a esse universo tão bagunçado quanto a vida de Optimus Prime na última década. O que começou com uma simples invasão alienígena no planeta da Megan Fox, se transformou em conflito de raças que estão a bilhões de anos na Terra fazendo sabe-se lá o que. Aliás, essa é uma das propostas de O Último Cavaleiro: explorar a antiga relação entre transformers e humanos.

Acontece que a cada novo trailer um filme diferente parece surgir. Mas tendo em mente o complicado A Era da Extinção, que começa com transformers sendo criados em laboratórios, parte pra uma história de caçador intergaláctico, vai pra dinossauros e termina com Optimus em busca de seu criador, O Último Cavaleiro pode ter um bom número de tramas e sub-tramas em seus prováveis 180 minutos de projeção. Os trailers deixam isso claro:

#Trailer1
Estamos diante de um filme que explica a relação conturbada entre máquinas e seres humanos? Os Transformers estão aqui há mais tempo do que se imagina? Optimus mudou de lado?

#Trailer2
É… uma espécie de Stranger Things pós apocalíptico com robôs gigantes comandados por uma garota sucateira estilo Ray?

#Trailer3
Ou seria tudo isso em um só filme que ainda inclui redenção do herói, novos personagens, ancestralidade, invasão alienígena, controle do governo e a garota sucateira estilo Ray?

US$ 3.7 bilhões é o que a franquia Transformers arrecadou com 4 filmes.

Tudo bem, confusão faz parte do DNA de Transformers (é um caminhão que vira robô, caramba!) e o Michael Bay não parece se preocupar com isso. É mais um diretor de forma que conteúdo. Seus filmes são sim de encher os olhos, e para aqueles que não fazem questão de desafios, temos aqui um verdadeiro banquete visual.

Mas o que Michael Bay faz exatamente pra transmitir essa noção de grandeza em seus filmes e transformar até mesmo um bom dia em algo épico? O Every Frame a Painting explica. Ative as legendas em português:

Seja doador e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!
Posts Relacionados
  • 25/09/2017

  • Luide

Mãe! pode não ser um filme de terror, mas é o mais assustador do ano

  • 22/09/2017

  • Luide

Para entender melhor Mãe!, conversei com a mãe da minha filha

  • 21/09/2017

  • Luide

O maravilhoso trailer de Isle Of Dogs, o novo filme de Wes Anderson