Chuck Norris Vs Comunismo: o cinema pode ser revolucionário

Documentário mostra como fitas VHS invadiram a Romênia comunista e foram a faísca para promover uma revolta contra o regime.

Luide
Luide
9 de Janeiro de 2018

Um filme nunca é só um filme. E sempre irei acreditar nessa frase. Outro dia, quando Os Últimos Jedi estreou, muita gente defendeu a tese que “filmes são só pra se divertir” ou que “nem todo filme tem uma mensagem“. Isso é uma bobagem tremenda. Todo filme, por mais ordinário que seja, pode inspirar. Pode se tornar algo maior do que ele se propõe a ser. Quem diria que filmes da Disney se tornariam a ponte de comunicação entre um garotinho autista e sua família? O cinema tem um poder que muitas vezes é subestimado.

Mas e quando filmes despertam sentimentos de revolta em uma população oprimida pelo Estado e a coragem de se opor contra ele? O documentário Chuck Norris Vs Comunismo conta essa história inacreditável.

Em meados da década de 1980, a Romênia vivia sob o comando do ditador comunista Nicolae Ceaușescu. O país se fechava para a “cultura ocidental” e todos viviam sobre rígidas regras e tinham direitos obliterados. O documentário mostra como filmes (principalmente americanos) começaram a ser contrabandeados para o país, e como isso se tornou uma forma dos romenos sobreviverem aos horrores de um regime totalitário.

Como eram proibidos, esses filmes precisam passar pela fronteira de forma ilegal, assim como drogas e cigarros. Ao chegar na Romênia existiam outras duas barreiras: a tecnológica e a da língua. Poucos tinham aparelhos de VHS e obviamente quase ninguém entendia uma palavra em inglês. Para driblar a barreira linguística, uma mulher foi responsável por se tornar a voz do cinema ocidental na Romênia: Irina Nistor. Ela dublou milhares de filmes e fazia todas as vozes presentes nos filmes. Se nós brasileiros nos orgulhamos dos nossos dubladores e da sua importância no cenário cultural, tente imaginar o que essa mulher sozinha conseguiu fazer.

Mas bem, certamente estamos falando de filmes politizados, que condenavam o comunismo e por isso plantaram a semente de uma revolta em massa. Certo? Negativo. Foram basicamente os clássicos da Sessão da Tarde que sacudiram um país inteiro. Rambo, Braddock, Exterminador do Futuro, Conan, Scarface e por aí vai. Obras que, de repente, se tornaram inspiração para milhares de pessoas.

O documentário mostra depoimentos de romenos que viveram nessa época e assistiam a esses filmes e conta o que exatamente fisgava essas pessoas. Em um determinado momento, um homem conta que ao ver uma mesa farta em um certo filme, ele se desligou completamente da história e só pensava naquilo. Outro conta como era incrível ver a arquitetura, os carros, as lojas com dezenas de produtos. Para as mulheres, a moda era um dos principais focos. Ou seja, os filmes se tornaram um catálogo do modo ocidental de viver a vida. E aquilo era invejável.

Chuck Norris Vs Comunismo serve como registro histórico, como alerta das manobras contra nossa liberdade individual, e também como demonstração do poder do cinema. Chuck Norris derrotou vários adversários em sua carreira nos cinemas, se tornou meme, mas derrubar um ditador comunista talvez seja sua maior vitória.

Assista. Tem na Netflix.

Seja doador e ajude o Amigos do Fórum a seguir crescendo!