Aqui estão os prováveis motivos do cancelamento de Sense8

Alto custo? Problemas pessoais? Aqui estão alguns [prováveis] motivos

Luide
Luide
1 de junho de 2017

Com uma narrativa focada em oito personagens que descobrem possuir o dom de se conectar mental e emocionalmente, Sense8 das irmãs Lilly e Lana Wachowski teve vida curta na Netflix. A série estreou em 2015 e durou duas temporadas.

A Netflix confirmou o que já era esperado: Sense8 está oficialmente cancelada:

Apesar de cancelamentos sempre apontarem para um motivo óbvio (a baixa audiência), Sense8 pegou o público de surpresa, já que sua diversidade de etnias e gêneros conquistou um público fiel e apaixonado. Como as coisas nem sempre são tão simples e a Netflix nunca divulga o verdadeiro motivo do cancelamento, cabe a nós analisarmos algumas notícias a respeito da série para imaginar alguns cenários.

Alto custo e a dificuldade de ser produzida

Depois de 23 episódios, 16 cidades e 13 países, a história dos sensates está terminando” diz um trecho do comunicado oficial da Netflix. É exatamente isso que você leu: a série percorreu 16 cidades em 13 países diferentes, gerando um custo por episódio de $9 milhões de dólares (informação do próprio produtor da série). Pra se ter uma ideia, Game Of Thrones que é hoje uma das mais badaladas e assistidas séries da televisão, tem o custo médio de $10 milhões.

A logística é tão grande que a primeira temporada levou 5 anos para ser pensada e produzida, e caso houvesse uma terceira, só estrearia em 2019.

Baixa audiência

2015 foi um ano e tanto para a Netflix. Várias séries originais surgiram, como Demolidor, Marco Polo, Unbreakable Kimmy Schmidt e claro, Sense8. O resultado foi tão positivo que o serviço de streaming comemorou fazendo algo que dificilmente faz: liberar números de audiência. Em um gráfico que destacava sua séries de sucesso naquele ano, vários nomes estavam presentes. Sense8 ficou de fora. Marco Polo e Bloodline que já foram canceladas, apareciam em último lugar, chamando atenção de apenas 2,4% da audiência.

Agora tente imaginar qual a posição que Sense8 tereia nesse gráfico. Pois é.

Em junho de 2016, a Netflix divulgou uma notícia que foi muito bem recebida pelos fãs daqui. O Brasil era o país onde Sense8 mais conquistou audiência e fez sucesso. Parece ótimo, né? Não muito. O principal mercado da Netflix ainda é EUA/Canadá, e se algo não pega por lá, o sinal vermelho é ativado.

Problemas pessoais das criadoras

Tanta logística e esforço para produzir uma série grandiosa, talvez tenha desgastado suas criadoras. Em 2016 durante o hiato, Andy Wachowski se assumiu como mulher trans para amigos, família e toda a imprensa. Daquele momento em diante, ela seria conhecida como Lilly. Vale lembrar que em 2012 sua irmã Lana também fez o mesmo.

Essa mudança não é tão simples, fácil e bem aceitada pela sociedade, portanto, é natural que Lilly tenha passado por momentos conturbados. Roberto Malerba, produtor da série, comentou sobre como a vida pessoal das diretoras influencia em Sense8:

“Provavelmente a terceira temporada será a última, em função da natureza complexa da série e porque Lana é responsável pela parte artística praticamente sozinha, o que não é uma coisa simples. Na primeira temporada, ela tinha sua irmã [Lilly] ao seu lado, mas Lilly agora está finalizando seu processo de transição e, por conta disso está ocupada. No entanto, Lana já está escrevendo a terceira temporada para estar pronta caso seja renovada.”

Bom, é isso que sabemos até o momento.
Sense8 está cancelada, caso a Netflix divulgue novas informações, esse post será atualizado.

Posts Relacionados
  • 14/07/2017

  • Luide

Hamburgueria cria cardápio inspirado nas casas de Game Of Thrones

  • 14/07/2017

  • Luide

This Is Us finalmente chega ao Brasil. É hora de todo mundo chorar

  • 13/07/2017

  • Luide

Parece piada, mas The Leftovers não foi indicado ao Emmy Awards