A Incrível Aventura de Rick Baker: Taika Waititi pode salvar o Ragnarok

Thor: Ragnarok está em boas mãos

Luide
Luide
11 de janeiro de 2017

Na mitologia nórdica o Ragnarök é o fim e recomeço de tudo. Eventos catastróficos, grandes batalhas, a queda de deuses. E é óbvio que a Marvel jamais fará algo do tipo nos cinemas, principalmente com Thor, o herói dono dos filmes mais galhofas de seu Universo. Então porque raios o subtítulo “Ragnarok” foi escolhido para a possível última aventura solo do deus nórdico nas telas (ao menos com Chris Hemsworth)?

É a grande questão, porém a escolha do diretor neozelandês Taika Waititi pode transformar o fim do mundo em uma ótima aventura, isso levando em conta seu mais recente filme A Incrível Aventura de Rick Baker. A história divertidíssima de um “marginalzinho” que como última saída para não viver em reformatório, vai morar na casa de Bella e Hec, em meio a mata. Alguns eventos acontecem e Rick e Hec caem em uma jornada que irá se transformar em uma bela amizade. É o típico filme onde uma criança amolece um velho e cansado coração.

Taika Waititi dirige e escreve uma história boba, e ao mesmo tempo cheio de carisma, sem se esquecer de um humor bastante honesto, que corre por todo filme. A maneira como ele filma essa aventura é pra encher os olhos, com planos abertos jogando em nossa cara toda a beleza da Nova Zelândia, mas sempre se lembrando do grande trunfo de seu filme: o relacionamento dos dois principais personagens.

O humor, as referências pops (algo que já começa a ficar insuportável no cinema/série), o bom controle da ação e do elenco, colocam Taika Waititi em cheque: será ele o responsável por finalmente fazer um filme decente do Thor e ao mesmo tempo diferente do que estamos acostumados vindo da Marvel? Lembrando que o último que realmente surpreendeu foi Soldado Invernal, lá em 2014. Mas o jovem diretor pode sofrer com um problema chamado “padrão Marvel de qualidade“. Lembra o que aconteceu com Edgar Wright? Pois é.

Acontece que é possível imaginar um filme do Thor nos moldes de A Incrível Aventura de Rick Baker. Ao que parece, teremos Thor e Loki procurando por Odin, e esse foco nos dois pode render excelentes momentos, principalmente com Loki, que sinceramente, combina demais com o estilo de Waititi. Aliás, ele lembra um pouco o pequeno marginalzinho Rick Baker, que de mal só tem o jeito de andar.

É difícil esperar um bom filme vindo do Thor, já que o herói foi o que mais sofreu em seus filmes solos. O primeiro é tão esquecível quanto o segundo, que sinceramente, é um dos mais chatos de tanto que tenta forçar um humor pontual. Sabe a “piada” da Beyonce em Dr. Estranho que só serve pra lembrar o espectador de “olha, a gente não é tão sério não, hehehe“? Então, em O Mundo Sombrio acontece a cada 5 segundos.

Da pra imaginar coisa boa saindo da união desses três…

Mas se não da pra fugir disso, que façam bem feito. Se assume de uma vez como uma piada, e faça uma piada decente. E nada melhor que alguém que tem o controle do humor. Thor: Ragnarok seria o filme mais desinteressante de 2017, mas graças a Rick Baker, se torna um dos meus favoritos.

Marvel, libera o cabresto do diretor!

Posts Relacionados
  • 25/07/2017

  • Luide

Dunkirk é mais do que a obra prima de Christopher Nolan, é uma das melhores experiências de cinema que você terá

  • 24/07/2017

  • Luide

“Foi como estar lá novamente” diz veterano de guerra sobre Dunkirk

  • 24/07/2017

  • Luide

De cosplay de Mulher Maravilha, garotinha chora ao encontrar Gal Gadot