Os maravilhosos filmes da PIXAR e seu retorno com DIVERTIDA MENTE

Novo longa da PIXAR chega aos cinemas em julho, então, bora lá falar um tiquin do estúdio?

29 de maio de 2015

Lá se vão 20 anos desde que Toy Story estreou nos cinemas e desde então, a PIXAR se tornou sinônimo de qualidade e criatividade no cinema. O que não falta em sua jovem história são excelentes histórias que emocionaram pessoas de todas as idades.

Você provavelmente chorou no final de Toy Story 3, torceu pro WALL-E conquistar a EVA e deu muitas risadas com a Dory. Então nada mais justo que finalmente falarmos da PIXAR no VLOG DO FÓRUM e também do seu mais novo filme nte derramou lágrimas em DIVERTIDA MENTE.

>>> ASSINE O CANAL DO AMIGOS DO FÓRUM

Batman, Arlequina e Coringa aprontando juntos nos sets de “Esquadrão Suicida”

Não tô entendendo mais nada...

28 de maio de 2015

A gente tá especulando o que satanás está acontecendo em “Esquadrão Suicida” há algumas semanas. Toda essa questão de imagens e vídeos que pipocam na internet todo santo dia, a maneira como o diretor não está fazendo mistério algum sobre o filme e claro, a participação do Batman e do Coringa dentro de uma história que tem nada menos que NOVE personagens no time de bandidos.

Quando o Batmóvel apareceu dando uns rolês nos sets, ficou claro que o Batman faria alguma ponta. Alguns cogitaram se tratar de flashback, já que o Coringamóvel é o mesmo usado na cena com a Harley Quinn. Então somaram 2 + 2 e chegaram a conclusão: bom, se a Harley ainda não virou a Arlequina quando o Coringa usa o carro do MC Guimê, e na cena com o Batman ele usa o mesmo carro, então só pode ser mesmo um flashback, antes dos acontecimentos da união do Esquadrão.

MAS EIS QUE… novas imagens agora mostram o Batman perseguindo o Coringamóvel e chuta quem tá no carona? Arlequina. Pelas fotos também da pra notar que a roupa do Coringa mudou, ele tá usando uma espécie de paletó branco, idêntico ao do Cavaleiro das Trevas.



A cada foto eu gosto ainda mais desse uniforme do Batman :3

De longe, “Esquadrão Suicida” é o filme mais hypado que já vi. Provavelmente isso irá se refletir nas bilheterias, afinal, não é todo dia que você consegue unir tanta gente e astros em um só filme. O futuro que a DC está nos reservando parece cada vez mais cheio de surpresas.

Eu, claro, sigo na torcida que esse filme será foda.

WTF? Beyblade vai ganhar um filme LIVE ACTION!

É HORA DO DUELO! Não, espera... isso é de outro anime

28 de maio de 2015

VOU TE MOSTRAR DO QUE ELA É CAPAZ, E VOCÊ VAI VER QUE É VELOZ DEMAIS. VOCÊ VAI PRO CHÃO, ENTÃO, LEVANTA OUTRA VEZ!

É A BEYBLADE!

Cara… eu fui MUITO viciado em Beyblade. Mas assim, muito mesmo. Quando o anime passou na Globo em 2002, eu trabalhava em uma firma de auto peças, e pra conseguir ver o anime, pedi pro meu horário de almoço ser no mesmo horário que ele passava na TV Globinho.

Eu gostava tanto dos personagens e das ferasbits que cheguei a criar uma espécie de fanfic (sem nem saber que isso existia) de Beyblade. Como a cada novo torneio eles viajam para lugares diferentes, e os adversários eram totalmente caricatos com a cultura local, imaginei como seria se Tyson fosse para outros países.

Enfim. O tempo passou, a TV Globinho deu lugar ao programa da Fátima Bernardes, eu cresci e nunca mais vi nada de Beyblade. Ai eis que essa notícia maravilhosamente surreal chega: a Paramount vai produzir um filme LIVE ACTION do anime. Isso mesmo, com atores de verdade e tal.

Como vocês sabem, a Paramout possuiu franquias baseadas em produtos da Hasbro (a bilionária Transformers é uma delas), e adivinha quem vai ganhar uma nova linha de brinquedos em 2017? Isso mesmo, Beyblade.

Ainda não tem informações sobre direção (aposto que será o glorioso Michael Bay) nem atores, mas uma coisa tem que ter nesse filme: a equipe russa que usava ARMAS para disparar a beyblade!

Que futuro Game Of Thrones reserva para suas Rainhas?

"The Gift" veio pra acelerar a trama e deixar a série já com gosto de momentos finais

27 de maio de 2015

No começo do ano apostei com a internet que a quinta temporada de Game Of Thrones seria a mais grandiosa de toda a série. Passado setes episódios, é preciso vir aqui e dizer que errei. Essa nem de longe é a melhor temporada muito menos a mais grandiosa. Ainda faltam três episódios para chegarmos até o fim desse ato e Game Of Thrones pode aprontar das suas e nos lembrar de quem estamos falando. Mas nada que mude o panorama geral (alguns fãs argumentam que os livros que inspiraram essa temporada são os mais lentos).

The Gift” foi até aqui o episódio que mais acelerou a trama, com elementos que até então estavam apenas no banho Maria, esperando para serem servidos. O caso que mais chama atenção sem dúvidas é a prisão de Cersei, personagem que pra mim, sempre foi um dos mais bem escritos em toda série. Cersei é inteligente, fria, calculista e sabe onde pisa. Se o Trono de Ferro fosse dado aqueles que jogam com sabedoria, sem dúvidas teríamos uma Rainha sentada nele.

Ao longo da série, Cersei sempre esteve envolvida em alguma coisa que provavelmente te deixou tristinho. A Rainha Mãe soube como poucos usar o ambiente ao seu favor, mas nessa quinta temporada, ela parecia fraquejar. Filho e pai que se foram, filha nas mãos de prováveis inimigos, o amor da sua vida totalmente mudado e ainda com a ameaça de sua nora, que se mostrava tão boa jogadora quanto ela.

O que vamos achar quando tirarmos todos os seus adornos?

Cersei construiu sua jogada aos poucos, usando até mesmo da fé dos Pardais, e quando parecia estar tudo novamente em suas mãos, vem aquele tipo de reviravolta que adoramos em Game Of Thrones. Cersei tem as mãos sujas de um amor proibido, e sua prisão é de longe uma das cenas que mais deixou a boca do espectador inimigo dos Lannisters doce.

Do outro lado do Mar Estreito outra Rainha pode ter seus rumos alterados nessa reta final. O encontro de dois dos personagens mais amados da série aconteceu. Daenerys e Tyrion… o que pode surgir caso ambos se relacionem? Já está óbvio que no quesito governar, Dany é igual Jon Snow no amor: não sabe de nada. E agora, com um anão bastante sagaz ao seu lado, quem sabe a coisa não muda de figura. Tyrion já se mostrou um excelente Mão do Rei, mas será que o ódio aos Lannisters pode fazer com que Daenerys de a ele outro futuro?

Game Of Thrones aparentemente engatou outra marcha e os três episódios finais serão mais dinâmicos. Se sua paciência com a série chegou até aqui, é hora de colher os frutos.

Jaspion, Jiban, Jiraiya, Black Kamen Rider: os tokusatsu vão dominar o Netflix

Em breve, nossos grandes heróis dos anos 80/90 vão dominar o serviço de streaming

25 de maio de 2015

CARALHO” – Jaspion

Eu jamais vou me esquecer do dia que meu pai chegou em casa com um pacote, me entregou e quando eu perguntei o que era e ele soltou um “apenas abra“. Cara… era um boneco do Jaspion! PQP! Meu herói favorito em uma época a cada semana uma nova série estreava na extinta TV Manchete. O Jaspion logo depois teve que dividir minha preferência com outras feras como Jiraiya, Jiban e Black Kamen Rider.

Os japoneses sabiam fisgar a molecada dessa época e praticamente monopolizaram nossa infância. Mesmo com todo o peso que eles exerceram na nossa vida, duvido muito que você tenha visto algo deles recentemente, até porque, convenhamos, da trabalho achar algo em uma qualidade razoável. Bom, em breve isso não será mais um problema.

De acordo com o site JBox, a Sato Company (tv japonesa que distribui as séries no BR) fechou com a Netflix a distribuição de uma lista incrível de tokusatsu para um futuro próximo. Em breve, clássicos como  JaspionChangemanFlashmanJibanJiraiya e National Kid e Black Kamen Rider farão parte do catálogo do serviço de streaming.

Não apenas os clássicos serão adicionados, mas também novas séries como GARO. É muita nostalgia… muita mesmo. Prevejo um imenso número de pessoas nascidas na década de 70/80 assinando o Netflix nos próximos meses…

Fala sério, olha pra essa imagem e diz se isso não é 1000x mais foda que o Homem de Ferro lutando contra o exército de Ultrons:

“Mad Max: Estrada da Fúria” não precisa te explicar tudo

Uma semana após sua estréia, "Mad Max" mostra que realmente é um filme diferente dos demais

25 de maio de 2015

Cinema é arte, é entretenimento, é diversão. Você pode gostar de filmes iranianos e mesmo assim estar na primeira fila de Vingadores. Um filme pode ter diversas propostas, das mais malucas como carros que se transformam em robôs, ou as cerebrais e abertas a interpretações. E o fantástico do cinema está justamente no fato de que cada um tem seu próprio entendimento, digere a obra como bem entender e cria suas próprias “críticas”.

Gostar ou não de um filme é relativo, vai de cada um e não vamos nos prender a essa discussão. Mas no últimos dias um filme vem chamando bastante atenção por provocar algumas reações extremas na internet. De um lado aqueles que já consideram “Mad Max: Estrada da Fúria” o melhor longa de ação dos últimos anos, do outro, aqueles que saíram frustrados, “não entenderam nada” e alegando que o filme não tem roteiro ou história. Então… será mesmo que Mad Max é um filme tão raso assim?

Mad Max: Estrada da Fúria” é o filme mais honesto dos últimos anos. Cumpre cada segundo do que prometeu, e se você pagou impresso esperando ver em tela grande aquela ação maníaca dos trailers, parabéns, tenho certeza que saiu realizado do cinema. Em nenhum momento é tedioso ficar na cadeira. Acontece que Miller jogou limpo com o espectador e não perde tempo em tela explicando o que diabos está acontecendo. Furiosa sem braço? Imortal Joe dono da água? Da onde veio Max? Porque tem o guitarrista no meio da loucura?

Mad Max se deu ao luxo de fugir dos padrões de blockbusters em não explicar TUDO que seus olhos vêem em tela.

Nolan é um diretor marrento que no geral faz bons filmes. É talvez o cara mais cultuado do momento e suas obras são grandes eventos. Uma de suas marcas são diálogos entre personagens que o tempo todo explicam a trama para o espectador. Um exemplo é “Inception” e sua complexa história sobre sonhos. Mas claro, Nolan jamais deixaria você desamparado: a todo instante o roteiro para pra explicar o que está acontecendo. Seria difícil entender o filme sem isso? Talvez. Mas é necessário entender tim tim por tim tim? Hmmm…

Narrações em off, diálogos intermináveis explicando as motivações dos personagens, grandes plot twists… “Mad Max: Estrada da Fúria” abre mão disso para mostrar o essencial em sua história: a ação que acontece durante todo o tempo. George Miller deixou para sua mente preencher aquilo que achar desnecessário. Porque a Furiosa trairia Imortal Joe? Como Imortal Joe ficou daquele jeito? Da onde surgiu Max e pra onde ele vai? Quem diabos é o guitarrista? Ah vá que você precisa saber de tudo isso pra gostar.

O mundo de Mad Max está ali, com toda sua poeira e cabe a você montar o quebra cabeça. É um roteiro simples e direto, mas nunca vazio. Tem muita coisa ali pra ser entendida e debatida, até mesmo crítica sociais pesadas tão bem colocadas como os capotamentos. A estranheza vem justamente por ser aquilo que poucos filmes se propõe a ser, é como se o cinema tivesse que ser didático o tempo todo e você não pudesse levar dever pra casa.

Mas no final, cabe a você decidir se prefere um rolê eufórico na Máquina de Guerra, ou um passeio turístico com algum guia te explicando o que tem a sua direita e a sua esquerda.

Topo ^